Mercado passa a contar com alta da Selic em março de 2016

Previsão Focus: o ponto mais alto dos juros no ano que vem será visto em junho, quando o colegiado deverá levar a Selic para 15,25% aa

Brasília – Com a expectativa de inflação mais alta e depois do duro discurso do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, na semana passada em São Paulo, o mercado financeiro revisou suas estimativas para cima para o comportamento dos juros ao longo do ano que vem e também para os próximos anos.

Na semana passada, o Relatório de Mercado Focus revelava que o consenso entre os analistas era o de que a taxa básica de juros (Selic) se mantivesse nos atuais 14,25% ao ano ao longo de todo 2016. Agora, a previsão é de alta.

O primeiro movimento, de acordo com o documento, acontecerá na segunda reunião marcada para o ano, em março. Nesse encontro, o Comitê de Política Monetária (Copom) vai aumentar a Selic de 14,25% ao ano para 14,75% aa.

A trajetória de alta continuará em abril, conforme o mercado, com a taxa chegando a 15,00% aa.

O ponto mais alto dos juros no ano que vem será visto em junho, quando o colegiado deverá levar a Selic para 15,25% aa. Esse patamar seria mantido em julho.

Em setembro, conforme os especialistas, a taxa já poderia ceder para 15,00% e, em outubro, para 14,75% aa. Em dezembro, conforme já revelou a Focus, a Selic encerraria em 14,63%, o que denota ainda uma divisão dos especialistas entre uma taxa de 14,50% ou de 14,75% ao final do ano que vem.

Em 2017, a perspectiva do mercado é a de que a taxa básica passasse a devolver as elevações anteriores. Como ainda não há calendário de reuniões do Copom para aquele ano, as projeções são feitas para os meses correntes.

Em janeiro e fevereiro, os juros estariam em 14,25%; em março, em 13,75%; em abril, em 13,50%; em maio, em 13,25%, e, em junho, 13,00%.

Da mesma forma, na última semana, houve elevação da expectativa para a Selic nos anos fechados. Para 2017, a mediana das previsões de 11,75% ao ano foi substituída pela de 12,00% aa.

Para 2018, a alta passou de 10,75% para 11,00%. Para 2019, de 10,00% para 10,50% e, para 2020, de 9,88% para 10,00%. Com isso, não há mais no horizonte de consultas do BC ao mercado a expectativa de que a taxa básica volte à casa de um dígito.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s