Volume de captações de empresas no mercado recuou 33%

No relatório mensal de novembro, a Anbima diz que nos primeiros dez meses do ano foram captados R$ 77,3 bilhões

São Paulo – O volume acumulado até outubro de captações feitas por empresas no mercado de capitais local caiu 33,5% em relação ao mesmo período de 2014 e é o menor em sete anos para o intervalo, informou a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais (Anbima). 

No relatório mensal de novembro, a Anbima diz que nos primeiros dez meses do ano foram captados R$ 77,3 bilhões.

Incluindo a única operação de debêntures de leasing de R$ 10 bilhões feita no período, o montante captado sobe para R$ 87,3 bilhões.

A maior parte das operações de captação feitas no mercado doméstico foi em renda fixa, respondendo por 80% desse total.

Os únicos meses do ano que registraram operações com ações foram abril (R$ 16,1 bilhões), junho (R$ 603 milhões) e setembro (R$ 454 milhões), e a maioria das ofertas foi destinada à aquisição de participação societária.

Entre as captações internacionais, apenas nos meses de maio e junho as companhias conseguiram acessar esse mercado.

No acumulado até outubro, foram levantados US$ 8,1 bilhões lá fora, por meio de apenas 9 operações, de acordo com a Anbima.

O montante é 82% inferior ao captado no exterior entre janeiro e outubro do ano passado, em 45 operações.

Outubro

O retrato isolado de outubro mostra igualmente baixo volume de operações, com apenas R$ 2,1 bilhões em captações feitas por companhias brasileiras, concentradas integralmente no segmento doméstico de renda fixa, segundo o boletim da Anbima.

No mês, foi captado R$ 1,7 bilhão em quatro operações com debêntures e R$ 393 milhões em quatro ofertas de notas promissórias.

Entre as ofertas no segmento local de renda fixa, o destaque foi a captação com debêntures da EDP – Energias do Brasil, que movimentou R$ 892 milhões e contou com duas séries enquadradas na Lei 12.431/11, com volume de R$ 228 milhões.

Além disso, entre as ofertas já encerradas, esta foi a única operação no mês registrada pela Instrução CVM nº 400, já que todas as demais operações do período foram distribuídas com esforços restritos (ICVM 476).

Renda Variável

Desde 2011, as captações com ações vêm apresentando desempenho pouco expressivo.

Entre 2009 e 2010, 48 companhias acessaram o mercado de renda variável para levantar recursos – com destaque para a mega operação da Petrobras, que movimentou R$ 120,2 bilhões em 2010, informa a Anbima.

Contudo, de 2011 a 2015, o volume médio anual de operações com ações foi de apenas R$ 18 bilhões, com a participação de um número decrescente de empresas.

Em 2014, apenas duas empresas fizeram lançamento de ofertas – um IPO e um follow-on (oferta de ações de empresas que já têm capital aberto).

Em 2015, o volume até outubro é de apenas R$ 17,2 bilhões, referentes a quatro ofertas, sendo um IPO e três follow-ons, dois destes últimos distribuídos com esforços restritos (ICVM 476).

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s