Após Brexit, Alemanha pode ter papel mais importante na UE

"A Alemanha seguirá tendo um papel central e, inclusive, mais importante no seio da União Europeia", afirmou o presidente da Comissão Europeia

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, avaliou neste sábado, em entrevista ao jornal alemão Bild, que Berlim terá um papel “inclusive mais importante” na UE após o Brexit.

“A Alemanha seguirá tendo um papel central e, inclusive, mais importante no seio da União Europeia”, afirmou o dirigente na entrevista.

A chanceler alemã, Angela Merkel, convidou o presidente francês, François Hollande, o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, para uma reunião em Berlim na segunda-feira.

Neste sábado ocorrerá, também em Berlim, uma reunião de ministros das Relações Exteriores dos seis países fundadores da UE (Alemanha, França, Itália, Bélgica, Holanda e Luxemburgo).

A UE está longe de ser perfeita, mas “é o melhor que temos para reunir os países da Europa em torno da mesma mesa e forjar compromissos, de forma que as pessoas vivam em paz, liberdade e prosperidade”.

Juncker criticou a irresponsabilidade e a ambivalência do primeiro-ministro britânico, David Cameron, que convocou o referendo e nesta sexta-feira anunciou sua demissão diante da vitória do Brexit.

“Quando na segunda-feira você fala mal da Europa, é difícil se passar por um europeu convencido no domingo”.

O presidente da Comissão estimou que Bruxelas não tem “qualquer responsabilidade” no resultado de um referendo convocado por Cameron “e não pelo Parlamento Europeu, a Comissão ou o Conselho Europeu”.

Na próxima cúpula da UE, na quarta e quinta-feira, em Bruxelas, será preciso refletir sobre “como podemos atender melhor às preocupações do povo e enfrentar os movimentos populistas de forma decidida e unida”, disse Juncker.

O presidente da Comissão não excluiu a hipótese de novos referendos em outros países da UE, na medida em que “os populistas (…) não perdem qualquer oportunidade de fazer muito barulho com suas políticas antieuropeias”.

“Mas os efeitos do referendo britânico também podem supor o fim desta agitação odiosa, quando perceberem que o Reino Unido estava melhor na UE”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s