As belas razões pelas quais estas mulheres amam usar hijab

Rretrato pode contribuir para a ideia equivocada de que as muçulmanas que usam o lenço na cabeça talvez não tenham autonomia e controle sobre sua própria vida

São Paulo — Recentemente o New York Times publicou um “guia” de lenços de cabeça muçulmanos. O artigo quis lançar luz sobre um conceito islâmico que promove a modéstia, mas as imagens que acompanhavam o artigo mostraram estilos de lenço específicos de alguns poucos países, e todas as silhuetas eram sem rosto.

Esse tipo de retrato pode contribuir para a ideia equivocada que algumas pessoas têm de que as muçulmanas que usam o lenço na cabeça talvez não tenham autonomia e controle sobre sua própria vida.

No clima político de hoje, o lenço de cabeça tornou-se mais que um simples símbolo espiritual de modéstia. Em dado momento, as mulheres que trabalhavam em cargos do governo na Turquia foram proibidas de usar o lenço.

Na França, o niqab – uma versão do lenço que cobre o rosto – é proibido. No campo do contraterrorismo, alguns enxergam o lenço de cabeça como manifestação de extremismo. E, à medida que cresce o número de ataques islamófobos nos Estados Unidos, cresce o medo das mulheres muçulmanas, especialmente as que usam o hijab, de se tornarem vítimas de violência.

Diante disso, o Huffington Post convidou mulheres de toda parte na Internet a mostrar como o hijab pode ser belo e diverso, usando o hashtag #HijabToMe (“o que é hijab é para mim”). Ao mostrar as muitas maneiras distintas que as mulheres optam por amarrar o hijab e os significados diversos que ele assume para elas, esperamos oferecer aos leitores um vislumbre da diversidade das muçulmanas que usam o lenço.

As muçulmanas foram convidadas a postar uma foto delas e uma descrição resumida do que o uso do hijab significa para elas.

Veja as imagens e participe da conversa na seção de comentários, abaixo, usando o hashtag #HijabToMe.

#HijabToMe Sou a favor da escolha. Defendo o direito da mulher com ou sem véu à autonomia sobre seu corpo. E os homens precisam recuar.

I am posting to support @huffingtonpost 's #HijabtoMe on their great initiative to introduce diversity in hijab. Hijab to me reflects personal identity, and not where you stand in your religion. I am lover of bows and what they resemble so I infused it into my hijab and now my hijab style is reflecting one part of who I am. Hijab is never a sign of opression, ignorance or falling in the shadows of society. I am an engineer with a master's degree, a teacher at a university, a certified Yoga instructor, an occasional model and a Salsa dancer! Not one time, have I felt that my hijab is holding me back from something I would like to pursue. Freedom is all in the heart and mind and not in the body. We are not tied down by hijab, but by people's conception of how a hijabi should look and act like. I have travelled to most parts of the world and I have always been amazed by how beauty can be so diverse taking every shape and form. And muslim girls are no different. Every hijabi has a message to tell the world that she sends through the way she wears it. So let every girl write her message with her own unique brush! Photocredit: @juansanchezphotography #hijabtome #hijab #hijabi #turban #turbow #islam #freedom #headscarf #postagram #instaphoto #modeling #huffpostgram

A post shared by Sara Al-Sharif @Fyomka (@sara__alsharif) on

Escrevo para apoiar o #HijabtoMe do @huffingtonpost por sua iniciativa maravilhosa de apresentar a diversidade do hijab. Para mim o hijab reflete a identidade pessoal, e não onde você se posiciona em sua religião. Eu adoro laços e o que eles parecem, então incluí laços em meu hijab, e hoje meu estilo de usar o hijab reflete parte do que eu sou. O hijab nunca é sinal de opressão, ignorância ou ficar na sombra da sociedade. Sou engenheira com mestrado, professora numa universidade, instrutora certificada de ioga, modelo ocasional e dançarina de salsa. Nunca senti que meu hijab me impede de fazer alguma coisa que eu queira. A liberdade está toda no coração e na cabeça, não no corpo. Não somos constritas pelo hijab, mas pelo conceito das pessoas de como deve ser a aparência e o modo de agir de uma mulher que usa hijab. Já viajei para a maior parte do mundo e sempre fiquei espantada ao ver como a beleza pode ser tão diversa, assumindo todas as formas possíveis. E as meninas muçulmanas não são diferentes. Cada mulher de hijab tem um recado a passar para o mundo, que ela transmite pelo jeito que usa o hijab. Assim, vamos deixar que cada menina escreva sua mensagem com seu próprio pincel singular!

#hijabtome é ter a liberdade de viver e me expressar do meu jeito, ao mesmo tempo em que conservo minhas crenças e meus valores. O hijab também me permite combater os estereótipos negativos que estão presentes em toda parte na mídia neste ambiente de islamofobia. #hijabtome é também um sinal de força e obriga as pessoas a me enxergar como o que sou, e não segundo qualquer padrão irreal de beleza seja idolatrado no momento.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s