Berlim lembra 55º aniversário da construção do Muro

Berlim lembrou neste sábado, o 55º aniversário do início da construção do muro que dividiu a capital da Alemanha em duas entre 1961 e 1989

Berlim – A cidade de Berlim lembrou neste sábado, com um pequeno ato comemorativo, o 55º aniversário do início da construção do muro que dividiu a capital da Alemanha em duas entre 1961 e 1989, no auge da Guerra Fria, onde 138 pessoas morreram quando tentavam atravessar a barreira rumo ao Ocidente.

O prefeito de Berlim, o social-democrata Michael Müller, liderou o grupo de representantes da cidade-estado que participaram de um ato comemorativo na chamada Capela da Reconciliação, um templo levantado onde ficava a faixa da morte.

Em seguida, Müller depositou uma coroa de flores no centro adjacente sobre o muro de Berlim da Bernauer Strasse em homenagem aos mortos pelo regime da Alemanha Oriental na divisa que separava Ocidente e Oriente.

Em 13 de agosto de 1961, começaram as obras, por ordem do então presidente da República Democrática Alemã (RDA, Alemanha Oriental), Walter Ulbricht, do batizado como “Muro de Proteção Antifascista”, que separaria a Berlim comunista das zonas controladas pela República Federal da Alemanha (Alemanha Ocidental), aliada do Ocidente.

“Ninguém tem a intenção de levantar um muro”, disse Ulbricht em junho daquele ano, apenas algumas semanas antes que os trabalhadores começassem a colocar as primeiras grades e a cavar as fundações do muro sob o olhar atento dos soldados do país comunista.

Durante as quase três décadas de existência do muro, que tinha 43 quilômetros através da cidade e quase 166 quilômetros no total, pelo menos 138 pessoas morreram quando tentavam atravessá-lo para escapar para a Alemanha Ocidental e foram abatidos por soldados do exército da RDA.

A primeira vítima foi Ida Siekmann, assassinada em 22 de agosto de 1961, e o último foi o garçom de 20 anos Chris Gueffroy, que morreu em 6 de fevereiro de 1989, quando tentava fugir da RDA, mas foi interceptado e fuzilado.

Em 9 de novembro de 1989, Günter Schabowski, membro e porta-voz da comissão política do Partido Socialista Unificado da Alemanha, o partido único da RDA, anunciou de surpresa a abertura das fronteiras do país comunista, o que fez com que milhares de alemães orientais cruzassem imediatamente o muro, acelerando a queda do bloco comunista. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s