Bombardeio contra mercados deixa mais de 40 mortos na Síria

A província de Idleb é controlada desde março de 2015 pela Frente Al Nusra (facção síria da Al-Qaeda) que, como o grupo jihadista EI, está excluído da trégua

Ao menos 44 civis, incluindo duas crianças, perderam a vida e dezenas de pessoas ficaram feridas em bombardeios nesta terça-feira, aparentemente por parte do exército sírio, contra mercados na província síria de Idleb (noroeste), reduto da facção da Al-Qaeda, segundo a ONG OSDH.

Mencionando um massacre, o OSDH (Observatório Sírio dos Direitos Humanos) informou que ao menos 37 civis morreram nos bombardeios contra um mercado de verduras em Maaret al Noomane, e outros sete em um mercado de peixes em Kafranbel.

A província de Idleb é controlada desde março de 2015 pela Frente Al Nusra (facção síria da Al-Qaeda) que, como o grupo jihadista Estado Islâmico, está excluído da trégua que entrou em vigor em 27 de janeiro entre o regime e os rebeldes.

Os bombardeios contra os mercados acontecem quando a oposição síria suspendeu, na segunda-feira, sua participação “formal” nas negociações de paz com o governo de Damasco em Genebra.

A segunda rodada de negociações sobre a paz na Síria, promovida pela ONU, acontece desde 13 de abril e deve durar pelo menos dez dias.

As negociações entre a oposição e o governo estão em um ponto difícil, depois de uma primeira rodada marcada por desacordos sobre o destino do presidente sírio. O objetivo dessa tentativa de diálogo é pôr fim a cinco anos de um conflito que já deixou mais de 270.000 mortos.

No campo de batalha na Síria, a trégua parece perdida, depois que dez grupos rebeldes anunciaram uma resposta coordenada às “violações” do cessar-fogo por parte de Damasco.

Respeitado globalmente, o acordo de cessação das hostilidades imposto por Washington e por Moscou desde 27 de fevereiro é ameaçado há mais de uma semana por uma nova escalada nos combates e bombardeios, principalmente na metrópole de Aleppo (norte) e sua província.

Esses dez grupos rebeldes, islamitas em sua maioria, anunciaram que adotariam uma resposta coordenada. Entre eles, estão os influentes Ahrar al Sham e o grupo de inspiração salafista Jaish al-Islam.

Os confrontos continuam em várias frentes na província de Aleppo, dividida entre o Exército, rebeldes, extremistas e curdos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s