Cerco a hotel na África termina e 126 pessoas são libertadas

Forças de Burkina Faso e francesas mataram pelo menos três extremistas e libertaram 126 pessoas ao assumir de volta o controle de um hotel de luxo

Ouagadou, Burkina Faso – Forças de Burkina Faso e francesas mataram pelo menos três extremistas e libertaram 126 pessoas ao assumir de volta o controle de um hotel de luxo na capital do país, Ouagadou, que havia sido tomado pelos agressores, disse o ministro de Segurança e Assuntos Internos do país, Simon Compaore. Extremistas islâmicos invadiram o hotel e um café nas proximidades na sexta-feira à noite.

Houve troca de tiros na madrugada de sábado com forças gendarmes e militares lutando para retomar o edifício. Elas conseguiram retomar o hotel Splendid, de 147 quartos, e estavam fazendo buscas em hotéis próximos para ter certeza de que não havia mais extremistas escondidos lá, conforme o ministro.

Cerca de 33 pessoas ficaram feridas, e as autoridades ainda estão determinando o número de mortes, segundo Compaore. Pelo menos 10 corpos foram encontrados até agora no Cappuccino Cafe, restaurante que fica do lado do hotel Splendid.

O ataque foi perpetrado pelo mesmo grupo responsável por um cerco a um hotel de luxo em Bamako, no Mali, em novembro, que deixou 20 mortos. Ainda não há confirmação de quantas pessoas permaneciam dentro do hotel em Ouagadougou ao amanhecer.

Dezenas de forças francesas chegaram durante a noite do vizinho Mali para ajudar no resgate. Um membro do exército norte-americano se juntou às forças francesas na cena do crime, e os Estados Unidos trabalhavam para oferecer à França auxílio em vigilância e reconhecimento, de acordo com uma fonte da Defesa norte-americana que falou sob condição de anonimato.

Uma filial da Al-Qaeda conhecida como AQIM, ou Al-Qaeda no Magrebe Islâmico, reivindicou pela internet a responsabilidade no momento em que o ataque estava em curso, de acordo com o grupo de inteligência SITE.

Uma mensagem postada em árabe na conta do AQIM “África muçulmana” no Telegram informou que combatentes invadiram um restaurante de um dos maiores hotéis da capital do Burkina Faso e estavam entrincheirados. Participantes do confronto contatados por telefone mais tarde “relataram a queda de muitos combatentes mortos”, disse o AQIM, conforme o grupo de inteligência. Fonte: Associated Press.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s