Combatentes estrangeiros estão em queda na Síria e no Iraque

O general americano explicou que, quando chegou a Bagdá há cerca de um ano, entre 1.500 e 2.000 combatentes estrangeiros se uniam a cada mês ao EI

O número de combatentes estrangeiros que entram na Síria e no Iraque caiu fortemente no último ano, afirmou o general americano Peter Gersten.

Ele explicou aos jornalistas no Pentágono que, quando chegou a Bagdá há cerca de um ano, entre 1.500 e 2.000 combatentes estrangeiros se uniam a cada mês ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

“Agora, depois de combater este inimigo durante um ano, nossas estimativas caíram para 200 por mês e vemos, inclusive, um aumento das deserções desses combatentes”, afirmou Gersten.

O presidente Barack Obama classificou o EI como “a ameaças mais urgente” para a comunidade internacional e anunciou o envio de 250 soldados adicionais à Síria para combatê-lo.

O EI controla vastos territórios no Iraque desde 2014, apesar de que alguns sectores foram recuperados pelas forças armadas iraquianas apoiadas pelos ataques aéreos da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s