Cuba está “aberta” para falar de direitos Humanos com Obama

Obama e sua esposa, Michelle, realizarão em março uma viagem histórica a Cuba, a primeira de um presidente americano à ilha desde 1928

A visita do presidente americano, Barack Obama, a Cuba, prevista para março, será “um passo” na melhoria das relações entre os dois países, e Havana está “aberta” a dialogar sobre qualquer tema, incluindo os direitos Humanos, declarou nesta quinta-feira uma diplomata cubana.

“Cuba está disposta a dialogar com o governo dos Estados Unidos sobre qualquer tema, incluindo os direitos humanos, sobre o qual temos diferentes concepções”, afirmou à imprensa a diretora dos Estados Unidos da chancelaria cubana, Josefina Vidal.

Ela acrescentou que Cuba tem “opiniões sobre o exercícios dos direitos Humanos em muitos países do mundo, incluindo nos Estados Unidos, e também tem muitas experiências exitosas para compartilhar neste campo”.

“O presidente americano será recebido pelo governo de Cuba e seu povo com a hospitalidade que o caracterizam”, afirmou à imprensa

“Esta visita será mais um passo no sentido de melhorar as relações entre Cuba e os Estados Unidos”, acrescentou.

Obama e sua esposa, Michelle, realizarão nos dias 21 e 22 de março uma viagem histórica a Cuba, a primeira de um presidente americano à ilha desde 1928, segundo informou nesta quinta-feira a Casa Branca.

“Nós ainda temos diferenças com o governo de Cuba, e eu vou enfrentá-las diretamente. Os Estados Unidos sempre vão se colocar do lado dos direitos humanos em todo o mundo”, escreveu Obama no Twitter, em mensagens que confirmaram sua viagem à ilha comunista.

Após essa visita, Obama e sua esposa vão visitar nos dias 23 e 24 de março Buenos Aires, onde o presidente americano se reunir com o novo presidente argentino, Mauricio Macri, para tratar o aprofundamento das relações bilaterais, de acordo com a Casa Branca.

O anúncio da viagem do presidente a Havana coroa um processo que começou em 17 de dezembro de 2014, quando Obama e o líder cubano Raul Castro surpreenderam o mundo ao anunciar o fim de meio século de disputas para iniciar um processo de reaproximação diplomática.

De acordo com a Casa Branca, em Havana o presidente dos Estados Unidos deve se reunir com Raúl Castro e manter contatos “com membros da sociedade civil, empresários e cubanos comuns”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s