Estado Islâmico liberta 170 trabalhadores sequestrados ontem

Em comunicado, o Observatório Sírio dos Direitos Humanos indicou que a libertação foi possível devido à mediação de autoridades locais

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) libertou hoje os 170 trabalhadores da cimenteira de Al Badiya (perto de Damasco, a capital da Síria), sequestrados na quinta-feira durante  ofensiva na zona de Ad Dumayr.

Em comunicado, o Observatório Sírio dos Direitos Humanos indicou que a libertação foi possível devido à mediação de autoridades locais.

O Observatório, que na quinta-feira informou que outros 140 trabalhadores tinham conseguido escapar aos seus captores, acrescentou que se aguarda a chegada progressiva dos funcionários libertados à localidade de Qalamoun.

No entanto, advertiu que segundo informações não confirmadas, o pessoal de segurança da fábrica e os homens leais ao regime do Presidente sírio Bashar al-Assad, que protegiam a zona e que também foram capturados, não foram libertados.

Até ao final da tarde de hoje não existia confirmação oficial da libertação destes sequestrados, cujo número segundo a agência noticiosa síria (Sana) é superior aos 300 trabalhadores e empresários da cimenteira, e não a 170 como refere o Observatório.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s