Explosão durante oração xiita no Paquistão deixa 9 mortos

Explosão ocorreu durante uma realização de uma oração xiita no distrito de Bolan, onde está ativado um alerta perante a proximidade da realização da "Ashura"

Islamabad – Pelo menos nove pessoas morreram e sete ficaram feridas em uma explosão durante uma realização de uma oração xiita no distrito de Bolan, no sudoeste do Paquistão, onde está ativado um alerta perante a proximidade da realização da “Ashura” por parte desta minoria, informaram à Agência Efe fontes oficiais.

“Nove pessoas morreram e outras sete ficaram feridas na explosão, que ocorreu durante a oração quando as mulheres estavam entrando no ‘Imambargh’ (lugar de culto e reunião xiita)”, disse o oficial das forças da ordem paquistanesas na região, Zarghoon Khan.

O secretário de Interior da província de Baluchistão, Akbar Hussain Durrani, onde se encontra Bolan, afirmou que a explosão aconteceu “fora do ‘Imambargh’ na área de Goth Chalgari do distrito” e “aparentemente foi um suicida” que a provocou.

“Foi depois do pôr do sol, quando os xiitas começam suas congregações pelo Muharram”, acrescentou em referência ao primeiro mês do calendário muçulmano no qual esta comunidade celebra a festividade da “Ashura” em lembrança do martírio de Hussein, neto de Maomé.

“A região está prejudicada e as instalações médicas não estão dentro do esperável, mas a Administração local começou a operação de resgate e os feridos foram transferidos a hospitais próximos”, indicou Durrani.

A fonte ressaltou que “a segurança estava em alerta máximo desde que começou o mês do Muharram”, há uma semana.

Na segunda-feira, 11 pessoas morreram e 23 ficaram feridas na explosão de uma bomba em um ônibus em Quetta, a capital de Baluchistão, que posteriormente foi reivindicada por um grupo separatista.

Os atentados de caráter sectário no Paquistão, especialmente contra a minoria xiita, que representa 20% da população do país islâmico, aumentaram nos últimos anos em meio à intensificação geral da violência terrorista desde o final de 2012.

Em junho de 2013, um atentado perto de um centro de oração xiita em Quetta causou a morte de 30 pessoas e ferimentos em 60, enquanto no início de 2014 três massacres em bairros xiitas dessa mesma cidade e Karachi (sul) causaram mais de 250 mortos.

Baluchistão faz fronteira com o Afeganistão e o com Irã e a mais extensa e menos povoada província do Paquistão. O local é cenário habitual de ataques de grupos separatistas, milícias islamitas e redes mafiosas que operam em todo o país.

Estas milícias recorrem a atentados contra instituições públicas, forças da ordem e pontos de interesse econômico em uma província com grandes recursos minerais, assim como a assassinatos seletivos de trabalhadores de etnias diferentes à baluchi, consideradas “invasoras”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s