FBI prende homem por roubo de dados ultra-secretos nos EUA

O suspeito trabalhava para a Booz Allen Hamilton, a empresa que havia contratado o conhecido hacker Edward Snowden, que agora se encontra refugiado na Rússia

O FBI prendeu um funcionário terceirizado da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos sob suspeita de ter roubado códigos ultra-secretos desenvolvidos para hackear as redes de governos estrangeiros, informou nesta quarta-feira (5) o departamento da Justiça.

“Uma denúncia penal foi apresentada contra Harold Thomas Martin III, de 51 anos, de Glen Burnie, Maryland, pelo roubo de propriedade do governo e extração sem autorização e retenção de material sigiloso por um funcionário ou empregado terceirizado do governo”, indica o departamento em um comunicado.

O suspeito foi preso em 27 de agosto, depois de uma batida policial em sua casa.

Martin trabalhava para a Booz Allen Hamilton, a mesma empresa que havia contratado o conhecido hacker Edward Snowden, que agora se encontra refugiado na Rússia após ter revelado a amplitude dos programas de vigilância da NSA.

Essa empresa ajuda a construir e realizar muitas das ciber-operações mais sensíveis da NSA, indicou o jornal The New York Times.

A ação penal declara que os investigadores encontraram documentos virtuais e cópias físicas de documentos ultra-secretos na casa e no carro de Martin.

Seis dos documentos “foram produzidos através de métodos, capacidades e fontes governamentais sensíveis, que são fundamentais para uma grande variedade de questões de segurança nacional”, de acordo com a demanda.

Booz Allen disse em comunicado que ofereceu sua completa cooperação com as autoridades quando soube da prisão. “E demitimos o funcionário”, especificou o texto.

Por enquanto, a NSA se recusou a comentar o acontecido.

Segundo os investigadores, Maring negou as acusações em um primeiro momento, mas quando lhe mostraram os documentos admitiu ter se apoderado deles e declarou que “sabia que o que havia feito era errado”.

Os advogados de Martin disseram em um comunicado à imprensa americana: “Não vimos nenhuma prova. Mas o que sabemos é que Hal Martin ama sua família e seu país. Não há provas de que pretendesse trair seu país”.

A prisão ocorreu após começarem a investigar o roubo de um código fonte empregado pela NSA para hackear os sistemas de oponentes como Rússia, China, Irã e Coreia do Norte.

Com ele, a NSA seria capaz de implantar um software nos sistemas rivais controlando ou até atacando suas redes.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s