França bombardeia posições do EI na Síria pela segunda vez

Os ataques eram esperados depois que, no dia 7 de setembro, o presidente François Hollande anunciou que começariam os voos de reconhecimento

Paris – A força aérea da França bombardeou na noite de ontem, pela segunda vez, posições do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) na Síria, anunciou nesta sexta-feira o ministro da Defesa do país, Jean-Yves Le Drian.

Le Drian afirmou à emissora “Europe 1” que seu país interveio novamente porque sabe que existem na Síria, concretamente nos arredores de Raqqa, “centros de combatentes estrangeiros cuja missão é vir a França e Europa para cometer atentados”.

Aviões-caça Rafale lançaram bombas sobre esse campo de treinamento e “atingiram os alvos”, acrescentou o ministro, que parabenizou os pilotos franceses por uma operação que, segundo ele, “não é a primeira, nem será a última”.

Após 20 dias de reconhecimento aéreo do terreno, o exército francês deu início aos primeiros bombardeios no dia 27 de setembro com o argumento de que a organização jihadista representa uma ameaça direta para sua segurança nacional.

Seu início era esperado depois que, no dia 7 de setembro, o presidente François Hollande anunciou que começariam os voos de reconhecimento.

A primeira operação teve como alvo um acampamento do EI em uma localidade próxima a Deir ez Zor, no leste da Síria, que, segundo as autoridades francesas, foi destruído em sua totalidade.

A França utilizou então seis aviões de combate, cinco deles Rafale, de fabricação nacional. Já na operação de ontem, foram quatro Rafale, dos quais dois realizaram os bombardeios e os outros dois serviram de reforço.

Desde o momento em que se mostrou disposto a participar dos bombardeios na Síria, o governo francês insistiu no princípio da “legítima defesa”, ao justificar o combate direto ao Estado Islâmico.

Hollande já tinha alertado no final de setembro que novas incursões poderiam ocorrer caso necessário e sempre com o mesmo fim: “identificar alvos que correspondem a campos de treinamento ou a lugares de onde sabemos que o grupo terrorista Daesh (acrônimo do EI em árabe) pode ameaçar a segurança” da França.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s