França confirma que sinal captado é de caixas-pretas de voo

Será necessária ao menos uma semana antes da chegada de um outro navio especialmente equipado para trazer à superfície os dois gravadores de voo

A Aviação Civil francesa confirmou nesta terça-feira que o sinal captado pela Marinha corresponde ao de uma das duas caixas-pretas do voo Paris-Cairo da EgyptAir que caiu em 19 de maio no Mediterrâneo com 66 pessoas a bordo.

“As equipes da empresa Alseamar mobilizadas no navio da Marinha Nacional Laplace detectaram o sinal de uma baliza de um aparelho de registro de voo”, confirmou em um comunicado Rémi Jouty, diretor do Escritório de Investigação e Análise (BEA).

“A detecção deste sinal é um primeiro passo”, acrescentou.

A sua localização foi possível “a partir da análise de dados de radar disponíveis e o sinal de emergência da baliza que permitiu definir a zona de busca prioritária. Este trabalho foi realizado em estreita cooperação com as autoridades egípcias”, informou Jouty.

As autoridades egípcias haviam anunciado pouco antes que um navio francês tinha detectado sinais procedentes, provavelmente, de uma das duas caixas-pretas do A320 da EgyptAir.

No entanto, será necessária ao menos uma semana antes da chegada de um outro navio especialmente equipado para trazer à superfície os dois gravadores de voo, indicou o ministério da Aviação Civil em um comunicado.

Somente a análise das caixas-pretas permitirá saber exatamente a causa do acidente que permanece desconhecida até agora.

“Os equipamentos de um navio da Marinha francesa, o Laplace, captaram sinais que emanam, provavelmente, de uma das duas caixas-pretas” do avião, indicou o ministério egípcio.

O Laplace, que chegou na terça-feira na zona de buscas, tem três veículos submarinos (DETECTOR-6000) da empresa francesa Alseamar, capazes de detectar os “pings” (ecos sonar) das caixas-pretas entre 4.000 e 5.000 metros.

Um navio de uma empresa Deep Ocean Search (DOS), equipado com um robô para recuperar os gravadores a 3.000 metros, também deve chegar à área do suposto acidente em 10 de junho.

A hipótese de ataque, inicialmente apresentada pelo Egito, perdeu terreno em favor de incidente técnico: alertas automáticos foram emitidos pela aeronave dois minutos antes de sua queda, sinalizando fumaça na cabina do piloto e uma falha do computador que gere os comandos.

O voo MS804 caiu entre Creta e o litoral norte do Egito, depois de desaparecer dos radares.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s