França “não quer conter EI, mas destrui-lo”, diz Hollande

O presidente da França declarou que o país "não quer conter o Estado Islâmico, mas destrui-lo", e afirmou que as ofensivas na Síria se intensificarão

Paris – O presidente da França, François Hollande, declarou nesta segunda-feira que o país “não quer conter o Estado Islâmico, mas destrui-lo”, e afirmou que as ofensivas francesas na Síria se intensificarão.

O líder francês anunciou uma reforma constitucional de modo a melhorar as medidas para combater o terrorismo e “proteger as liberdades fundamentais”.

“Temos que fazer nossa Constituição evoluir para permitir que os poderes públicos atuem, respeitando o Estado de direito, contra o terrorismo de guerra”, disse em discurso solene perante as duas câmaras parlamentares reunidas em Versalhes.

A justificativa para a mudança seria pelo motivo de tanto o estado de emergência como o de sítio “não estarem adaptados à (atual) situação”, uma “guerra, mas de outro tipo, contra um elemento novo (o terrorismo), o que requer uma reforma constitucional”.

De acordo com Hollande, esses dois regimes não são apropriados porque nem alteram o funcionamento dos poderes públicos e nem atribuem poderes às autoridades militares.

A nova proposta busca “dispor de uma ferramenta apropriada para adotar medidas excepcionais durante um período de tempo limitado e sem comprometer as liberdades públicas”.

O presidente francês pediu aos deputados e aos senadores que a reforma “seja adotada o mais rápido possível” e explicou que, enquanto isso, o governo adotará na quarta-feira em conselho de ministros um projeto de lei para prolongar durante três meses o estado de emergência, em vigor desde a noite de sexta-feira como primeira resposta aos atentados.

O estado de emergência será adaptado “às novas tecnologias e às ameaças” terroristas porque a lei que o regula atualmente, que data de 1955, está defasada, segundo o líder francês.

Hollande também apresentou uma série de disposições que endurecem o tratamento jurídico do radicalismo e do terrorismo, a começar pela retirada da nacionalidade de quem tiver dupla cidadania e for condenado por uma série de delitos que atentem contra o Estado ou contra seus valores fundamentais.

Com as alterações, as pessoas com dupla cidadania que representarem risco terroristas serão impedidas de entrar na França e os estrangeiros considerados uma ameaça serão expulsos “mais rapidamente”.

“Paralelamente, serão aumentadas significativamente as penas” por tráfico de armas e haverá um reforço “substancial” nos recursos da justiça e das forças da ordem, com 8,5 mil efetivos suplementares para lutar “contra o terrorismo de guerra”.

Serão criadas “5.000 vagas de policiais e gendarmes em dois anos para elevar a 10 mil a criação de postos no mandato” presidencial, que termina em 2017, anunciou em Versalhes.

“Este esforço permitirá simplesmente restabelecer o potencial ao nível de 2007”, disse o presidente, que informou que serão convocadas 2,5 mil vagas adicionais na área de justiça e outras mil nas alfândegas.

Segundo Hollande, “não haverá nenhuma diminuição de efetivos até 2019” e os reservistas serão mais aproveitados, por serem “um elemento forte de vínculo entre o exército e a nação”, podendo constituir no futuro “uma Guarda Nacional disponível”, acrescentou.

Tudo isso significará um aumento da despesa orçamentária, mas, “nestas circunstâncias, o pacto de segurança está acima do pacto de estabilidade”, ressaltou o presidente francês. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s