Golpe é “presente de deus” para limpar exército, diz Erdogan

O presidente turco deu entrevista coletiva após aterrissar em Istambul

Istambul – O presidente da Turquia, o islamita Recep Tayyip Erdogan, qualificou neste sábado a tentativa de golpe de Estado em seu país como um presente de deus que permitirá limpar o Exército.

“Este levante, este movimento é um grande presente de deus para nós. Porque o Exército será limpo”, afirmou o presidente em entrevista coletiva logo após aterrissar em Istambul, assegurando que os golpistas pagarão caro por sua “traição”.

Em seu discurso, realizado no Aeroporto de Istambul, Erdogan acusou os líderes do golpe militar de levantar-se contra um governo que “chegou ao poder com o voto do povo”.

“Isto é traição. Pagarão um preço muito alto”, ameaçou o presidente turco.

Erdogan afirmou que os militares “não podem aceitar” seu triunfo na urnas.

O atual presidente assumiu o cargo em 2014 com o 51,8% dos votos. Antes de isso, governou como primeiro-ministro desde 2003 com sucessivas maiorias absolutas de seu partido, o islamita AKP.

O presidente Erdogan negou que os líderes do golpe conseguiram conquistar o controle do país e disse que afirmou que poucos militares participaram da tentativa de golpe.

“Nunca vamos ceder nosso país aos ocupantes. O final disso tudo será bom”, prometeu.

Erdogan pediu para os militares “serem respeitosos com os valores desta nação” e afirmou que há membros do Exército recebendo “ordens da Pensilvânia”, em referência à residência no exílio de Fethullah Gülen, um pregador islâmico influente e ex-aliado do AKP.

O presidente turco disse que a tentativa golpista é uma prova certa que as acusações de terrorismo que vem fazendo contra a influente confraria dirigida por Gülen, com muitos seguidores nas forças de segurança e no sistema judiciário turco.

O presidente se referiu aos soldados como seus “filhos” e pediu que eles não voltem suas armas contra seus pais.

“Se você virar armas contra quem lhes deu, vai pagar um preço alto”, advertiu.

Erdogan explicou que as prisões de altos oficiais militares envolvidos no golpe começará agora e que o Exército será limpo.

Texto atualizado às 00h53 de 16/07/2016

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s