Governo venezuelano e oposição disputam por revogatório

Centenas de militares e policiais foram colocados em pontos estratégicos diante do que se prevê ser a maior manifestação que a opositora MUD fará

Acusando-se mutuamente de buscar uma explosão de violência, a oposição e o governo da Venezuela medirão forças nesta quinta-feira com manifestações a favor e contra o referendo revogatório do mandato de Nicolás Maduro.

Centenas de militares e policiais foram colocados em pontos estratégicos diante do que se prevê ser a maior manifestação que a opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) fará para exigir ao Conselho Nacional Eleitoral (CNE) que acelere o referendo: a chamada “Tomada de Caracas”.

“Toda a Venezuela está se mobilizando pelo direito de votar (…) passando por cima da estratégia do medo, da chantagem e do amedrontamento, para fazer a mais importante mobilização política de nossa história recente”, assegurou o secretário-executivo da MUD, Jesús Torrealba.

Passando para a ofensiva, os chavistas se manifestarão nesta quarta-feira e convocaram uma gigantesca mobilização na quinta-feira que chamaram de “Tomada da Venezuela” para, segundo seus dirigentes, “defender a revolução”.

Maduro acusou a oposição de planejar um “golpe de Estado” e ameaçou mandar para a prisão dirigentes opositores, caso comece a violência na quinta-feira: “Berrem, chorem ou gritem, irão presos!”, sentenciou.

“A oposição joga tudo para todos, busca demonstrar que é uma grande maioria no país que quer a mudança. O governo está centrando sua estratégia em desmoralizar, desmobilizar e colocar medo”, afirmou à AFP Diego Montoya-Ocampo, analista do IHS Markit Country Risk, com sede em Londres.

O CNE descartou a possibilidade de antecipar a data de recolhimento das assinaturas, reiterando que será feito na última semana de outubro e advertindo que eventuais distúrbios na manifestação irão paralisar o processo.

Mas Torrealba afirma que “o que está vindo é a mudança, porque o povo quer revogar a fome, a insegurança e a falta de remédios”, ao anunciar que a mobilização opositora se concentrará em três estratégicas avenidas do leste de Caracas, reduto da oposição.

O líder opositor Henrique Capriles, que acredita que um milhão de pessoas poderá estar presente na manifestação, assegurou à AFP que na quinta-feira irá ser aberta “uma nova etapa” de mobilizações e pressão internacional para obrigar o governo a aceitar o revogatório.

“Conspiração imperialista”

Delegados da MUD viajaram para os Estados Unidos a fim de pedir a ONU, em Nova York, e à Organização dos Estados Americanos (OEA), em Washington, que observem a “Tomada de Caracas” e denunciem o que consideram um “aumento da repressão”.

Para Torrealba, “o governo está fazendo tudo isso por medo”. “Não haverá uma pedra, um capuz, uma garrafa quebrada. O protesto será em paz e pela paz”, assegurou.

“Não queremos guerra, não queremos violência, queremos um cronograma para o revogatório”, disse Lilian Tintori, esposa do líder opositor preso, Leopoldo López.

Ao vinculá-lo com o julgamento de Dilma Rousseff, Maduro assegurou que o pedido do revogatório é planejado pela “direita fascista” venezuelana como parte de uma conspiração que “vem diretamente do imperialismo americano”.

Neste enfurecimento político, chegaram a Caracas os ex-governantes José Luis Rodríguez Zapatero (Espanha) e Martín Torrijos (Panamá), que formam uma missão de mediação para um diálogo entre governo e oposição.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s