Grandes terremotos podem estar ligados à força gravitacional

Após a descoberta de que as forças solares e lunares afetam as marés dos oceanos, cientistas especulam se elas também fazem a crosta terrestre ceder e quebrar

A mesma força gravitacional que gera marés altas quando a Lua e o Sol se alinham também pode ajudar a desencadear grandes terremotos, de acordo com um estudo divulgado nesta segunda-feira.

Compreender melhor este mecanismo pode ajudar a prever quando as falhas geológicas conhecidas são mais propensas a produzir terremotos mortais, disseram os pesquisadores.

“Grandes terremotos são mais prováveis ​​durante períodos de estresse elevado das marés”, concluíram os cientistas na revista científica Nature Geoscience.

Quando a força da gravidade é mais forte, acrescentaram, “aumenta a probabilidade de uma pequena falha de rocha expandir para uma ruptura gigantesca”.

Durante séculos após a descoberta de que as forças solares e lunares afetam as marés dos oceanos, cientistas especularam se elas também fazem a crosta terrestre ceder e quebrar.

Mas só recentemente pesquisas estatísticas começaram a estabelecer uma ligação firme entre alinhamentos planetários e tremores de terra.

Satoshi Ide, professor da Universidade de Tóquio, e colegas concentraram a pesquisa em grandes tremores de terra – de magnitude 5,5 ou superior – em todo o mundo ao longo das duas últimas décadas.

A equipe reconstruiu o tamanho da força gravitacional nas duas semanas anteriores a cada tremor.

Eles não encontraram nenhuma correlação clara com tremores menores.

Muitos dos terremotos maiores, no entanto, ocorreram durante períodos em que a força gravitacional da Lua e do Sol estavam particularmente fortes.

Entre eles, está o terremoto de 26 de dezembro de 2004 em Sumatra, que devastou uma grande faixa da ilha e causou um tsunami mortal em direção ao sul e ao sudeste da Ásia. Cerca de 220.000 pessoas morreram.

A mesma associação foi encontrada em dois outros grandes sismos, o tremor de 2010 perto de Maule, no Chile, e o terremoto de 9,0 graus de magnitude ao largo da costa da ilha de Honshu do Japão em 2011, que deixou cerca de 19.000 mortos e afetou a usina nuclear de Fukushima.

Como exatamente grandes terremotos começam e evoluem ainda é pouco compreendido.

Uma teoria sugere que todos os tremores começam com uma pequena fratura e evoluem até rupturas de grande escala.

Se isso for verdade, então o novo estudo sugere que a probabilidade de isso acontecer aumenta no período logo após a lua nova ou cheia.

As descobertas “podem ser usadas ​​para melhorar a previsão probabilística de terremotos, especialmente para terremotos extremamente grandes”, concluíram Ide e seus colegas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s