Hillary não precisa dar testemunho sob juramento, diz juiz

Hillary precisa, em vez disso, responder por escrito dentro de 30 dias a perguntas do grupo Judicial Watch

Nova York – A candidata democrata a presidente dos Estados Unidos, Hillary Clinton, não precisa dar um testemunho sob juramento como parte de um processo de um grupo conservador sobre o uso que ela fez de um sistema privado não autorizado de e-mails quando era secretária de Estado, decidiu um juiz nesta sexta-feira.

Hillary precisa, em vez disso, responder por escrito dentro de 30 dias a perguntas do grupo Judicial Watch, que há muito tempo critica as atitudes dela e que está processando o Departamento de Estado por conta dos registros do tempo em que ela foi a secretária.

A decisão do juiz Emmet Sullivan na Corte Distrital dos Estados Unidos em Washington deve representar um alívio para os democratas, que não queriam que Hillary se submetesse a horas de questionamentos por advogados no meio da campanha para as eleições presidenciais de 8 de novembro contra o republicano Donald Trump.

Hillary, que serviu como secretária de Estado de 2009 a 2013, se desculpou pela decisão de usar o serviço de e-mail, que, como consequência, blindou as comunicações dela das leis de registros públicos até a revelação do caso no ano passado.

Eleitores têm dito em pesquisas de opinião que o caso do servidor de e-mail contribui com as impressões que Hillary não é confiável. O Departamento de Justiça dos EUA concluiu no mês passado que não havia base para processar Hillary por conta do tema, depois de um ano de investigações.

Sullivan tem permitido que o grupo Judicial Watch obtenha testemunho sob juramento em diálogos algumas vezes tensos com vários assessores de Hillary nos últimos meses, dizendo que a corte precisa estabelecer se o servidor foi montado para travar o Ato de Liberdade de Informação.

No entanto, o juiz concordou com os advogados de Hillary sobre o fato de que ex-autoridades de alto escalão do governo só podem receber ordens para dar testemunhos sob juramento em “circunstâncias excepcionais”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s