Índia rejeita diálogo com Paquistão sobre Caxemira

A resposta ocorre no mesmo dia em que ao menos 2 soldados e 1 policial morreram em um ataque de supostos insurgentes contra comboio militar na Caxemira indiana

Nova Délhi – O governo da Índia rejeitou nesta quarta-feira a proposta de diálogo feita pelo Paquistão para que fosse debatida a situação na Caxemira, território disputado pelas duas ex-colônias britânicas, e cuja parte indiana vive há mais de um mês em conflito entre civis e forças de segurança.

“O governo da Índia rejeita em sua totalidade as alegações interessadas (do Paquistão) sobre a situação em Jammu e Caxemira. (Esse estado) é uma parte integral da Índia sobre a qual o Paquistão não tem direitos”, informou a diplomacia indiana em resposta enviada ao governo paquistanês.

Nova Délhi manisfestou a disposição do secretário de Relações Exteriores indiano, Subrahmanyan Jaishankar, a comparecer a Islamabad (Capital do Paquistão), desde que seja para tratar sobre a passagem de “terroristas” pela denominada Linha de Controle, fronteira de fato entre as duas regiões da Caxemira desde a década de 1970.

“Visto que os aspectos relacionados com a passagem de terroristas pela fronteira são centrais na situação atual em Jammu e Caxemira, propusemos que as discussões entre os secretários das Relações Exteriores sejam focadas sobre este tema”, explicou o governo indiano.

A resposta ocorre no mesmo dia em que pelo menos dois soldados e um policial morreram em um ataque de supostos insurgentes contra um comboio militar na Caxemira indiana, no quarto incidente deste tipo nos últimos três dias na região, segundo informa a agência indiana “Ians”.

Outro ataque a uma delegacia deixou ontem cinco policiais feridos, enquanto na segunda-feira passada, na comemoração do Dia da Independência da Índia, dois supostos insurgentes e um membro das forças de segurança indianas morreram em outro atentado.

Nesse mesmo dia, outros dois supostos insurgentes foram abatidos pelo exército indiano na Linha de Controle.

O secretário das Relações Exteriores do Paquistão, Aizaz Ahmad Chaudhry, propôs na segunda-feira passada que seu colega indiano viajasse a Islamabad para tratar da situação da Caxemira, “principal ponto de tensão” entre os dois países.

Os confrontos entre a população e as forças de segurança não cessaram na Caxemira indiana desde que em 8 de julho deste ano foi abatido um insurgente separatista da região, o que criou uma onda de protestos violentos.

A ex-colônias britânicas travaram várias guerras pelo território da Caxemira desde a partilha do subcontinente em 1947 após o fim do período colonial. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s