Líder africana pede perdão diante de papa por violência

Presidente da República Centro-Africana, Catherine Samba-Panza, pediu "perdão" ao papa Francisco em nome da classe dirigente do país

Bangui – A presidente da República Centro-Africana, Catherine Samba-Panza, pediu “perdão” neste domingo em nome da classe dirigente e dos responsáveis pelo que chamou de “queda ao inferno”, em alusão à violência em seu país, e encorajou seus compatriotas a fazer o mesmo após receber o papa Francisco.

Samba-Panza elogiou a “lição de coragem e determinação” que o pontífice demonstrou ao viajar para Bangui, capital da República Centro-Africana, onde lhe recebeu hoje na sede presidencial, o Palácio do Renascimento.

“Todos os filhos e filhas deste país devem reconhecer suas falhas e pedir perdão, um perdão sincero que sua bênção transformará em um novo pavimento para a reconstrução do país”, ressaltou a governante.

O pontífice iniciou hoje em Bangui a terceira etapa de sua viagem africana, a mais arriscada pela situação de insegurança no país, agitado por uma crise política e humanitária que deixou milhares de mortos e dezenas de milhares de refugiados e deslocados nos últimos dois anos.

“Confesso todo o mal que se fez aqui no curso da história e peço perdão do fundo do meu coração”, expressou a presidente dirigindo-se ao pontífice.

A espiral de violência sectária começou na República Centro-Africana com a derrocada de François Bozizé em março de 2013 pelas mãos dos rebeldes Séléka, de maioria muçulmana, contra quem pegaram em armas meses mais tarde milícias denominadas anti-balaka, de maioria cristã.

A dirigente centro-africana elogiou que Francisco tenha mantido sua visita apesar dessa violência, das ameaças de segurança e do ressurgimento de movimentos extremistas.

“Teriam podido desanimá-lo a tomar o risco de deslocar-se a Bangui, mas não foi assim. A lição de coragem e de determinação é exemplar e deveria inspirar a todos nós”, ressaltou.

Samba-Panza se mostrou convencida de que a visita de Francisco ao país permitirá “exorcizar” os “demônios da divisão, do ódio e da autodestruição definitivamente de nossas terras”. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s