Líder do Talibã foi ferido em confronto, diz Afeganistão

Mulá Mansur ficou gravemente ferido durante confronto com grupo insurgente no Paquistão

Cabul – O líder dos talibãs, mulá Mansur, ficou gravemente ferido durante um confronto com outros dirigentes do grupo insurgente na cidade de Quetta, no Paquistão, afirmou nesta quarta-feira à Agência Efe o porta-voz do gabinete do primeiro vice-presidente do Afeganistão.

“Segundo nossas informações, o líder Ajtar Mansur foi gravemente ferido em um confronto interno no Paquistão”, disse Sultan Faizi, porta-voz do vice-presidente afegão, Abdul Rashid Dostum.

Faizi afirmou que Mansur foi convidado à casa do mulá Abdullah Sarhadi, um ex-comandante talibã, e que, após uma discussão, teve início uma troca de tiros, que teria ocorrido na noite de ontem.

Mansur ficou gravemente ferido e foi levado a um hospital de Quetta, no oeste do Paquistão. Cinco integrantes dos talibãs, incluindo Sarhadi, morreram no local, disse o porta-voz.

“Não sabemos se Mansur está morto ou vivo”, disse Faizi.

Os porta-vozes dos talibãs não divulgaram nenhuma informação nem responderam os pedidos para comentar o incidente.

Mulá Mansur foi designado como líder talibã no final de julho depois de o governo do Afeganistão ter divulgado que o mulá Omar, um dos fundadores do grupo, tinha morrido em abril de 2013.

Apesar de a escolha de Mansur, número dois e chefe militar de Omar, ter sido apoiada pela maioria dos comandantes e membros da organização, alguns deles se opuseram a nomeação publicamente.

Inclusive, promoveram uma cisão do grupo, não reconhecendo a liderança do novo dirigente.

Um grupo dos dissidentes se reuniu sob o Conselho Supremo Talibã no mês passado e designou o mulá Rasul como novo líder do grupo, o que abriu uma guerra entre as diferentes facções da organização em várias províncias do país.

Em novembro, Mansur lançou uma ofensiva contra as facções dissidentes e acabou matando o braço-direito de Rasul, o mulá Mansur Dadullah.

A informação sobre o estado de saúde do mulá Mansur ocorre depois de o Paquistão ter reiterado ontem seu apoio ao Afeganistão na luta contra os talibãs e afirmado que está disposto a “reviver” as negociações de paz entre o governo e os insurgentes para encontrar uma solução ao conflito do país.

Os diálogos, que tinham tido uma primeira rodada no princípio de julho, no Paquistão, foram congeladas no fim do mesmo mês, exatamente depois do anúncio da morte do mulá Omar. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s