Ministra britânica Theresa May lidera disputa para premiê

Theresa, que apelou para que os parlamentares votem nela pensando em sua grande experiência no governo, recebeu o apoio de mais da metade da legenda

Londres – A ministra do Interior do Reino Unido, Theresa May, liderava nesta quinta-feira a disputa pelo cargo de primeiro-ministro do país antes da votação na qual o Partido Conservador irá reduzir a corrida a dois candidatos, uma decisão que irá ajudar a determinar o rumo das conversas sobre a desfiliação britânica da União Europeia.

Theresa, que apelou para que os parlamentares votem nela pensando em sua grande experiência no governo, recebeu o apoio de mais da metade da legenda, passando à frente da ministra da Energia, Andrea Leadsom, e do ministro da Justiça, Michael Gove, antes da segunda etapa da votação nesta quinta-feira.

Mas sua vitória não é garantida –o voto tático entre os parlamentares conservadores pode distorcer o resultado, e os candidatos finais terão que passar semanas tentando conquistar os membros da legenda majoritariamente eurocética, que podem acreditar que um novo rosto tem mais chance em uma eleição em 2020.

O vencedor, que será escolhido no dia 9 de setembro, também formará uma equipe para conduzir o relacionamento futuro do Reino Unido com a UE depois que o referendo do mês passado desencadeou pedidos em Bruxelas para que o país comece a negociar seu desligamento do bloco.

“Parece que será May”, disse um assessor do premiê britânico, David Cameron, que deu início à disputa ao anunciar sua renúncia na manhã seguinte ao referendo no qual se decidiu pela separação da UE.

De acordo com o ConservativeHome, um site do partido governista, Theresa foi aceita por 159 dos 330 correligionários no Parlamento que declararam sua preferência, Andrea recebeu 48 votos e Gove outros 27.

Andrea recebeu um reforço nesta quinta-feira ao ser apoiada pelo ex-líder conservador Michael Howard, e o fato de ter defendido a campanha do “sai” pode lhe render o apoio da maioria dos conservadores que desejam um desligamento rápido do bloco.

Falando a apoiadores e jornalistas, ela procurou apaziguar as preocupações dos imigrantes da UE que temem ter que deixar o Reino Unido dizendo que aqueles que estão legalizados são bem-vindos para ficar.

Ela também disse acreditar que a economia irá crescer após a desfiliação.

Theresa May tem um apoio mais robusto entre os parlamentares, já que conquistou 165 votos na primeira rodada, mas respaldou a campanha do “fica” no referendo, e disse que o país deveria esperar antes de iniciar o procedimento formal de saída do bloco, o Artigo 50.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s