O que se sabe sobre o desaparecimento do avião da Egyptair

Embora os relatos ainda sejam conflitantes, EXAME.com compilou algumas informações e especulações sobre o que, afinal, teria acontecido com o voo MS804

São Paulo – O mundo acordou nesta quinta-feira com a notícia de que um avião da empresa Egyptair desapareceu no trajeto entre Paris, na França, e Cairo, no Egito. O Airbus A320 era ocupado por 66 pessoas e perdeu o contato com controladores quando deixou o espaço aéreo grego e entrou na área egípcia.

Destroços da aeronave ainda não foram encontrados no mar Mediterrâneo, bem como ainda não se sabe quais as causas do seu desaparecimento. Enquanto isso, familiares das possíveis vítimas aguardam por notícias.

Embora os relatos sejam conflitantes até o momento, EXAME.com compilou algumas das informações e especulações sobre o que, afinal, teria acontecido com o voo MS804. Veja abaixo:

Que voo era esse?

O MS804 da Egyptair decolou às 23 horas (horário local) da última quarta-feira do Aeroporto Charles de Gaulle em Paris e deveria ter aterrissado no Aeroporto Internacional do Cairo às 03h15 da madrugada (horário local).

Qual era a aeronave?

O avião que desapareceu era um Airbus A320. A empresa emitiu um comunicado na manhã de quinta-feira de condolências às famílias das vítimas. Nele, a Airbus informou que a aeronave foi entregue à companhia aérea em 2003 e acumulava quase 48 mil horas de voo.

O primeiro A320 da Airbus entrou em atividade em 1988 e hoje há 6.700 unidades do modelo operando por todo o mundo. A frota, continuou a empresa, já bateu a marca de 180 milhões de horas de voo e realizou 98 milhões de voos.

Quando o voo desapareceu?

Segundo informações das autoridades de Defesa da Grécia, divulgadas pela agência EFE, a aeronave entrou no espaço aéreo grego às 2h24 (horário local) e ficou em contato com a torre de controle em Atenas por 24 minutos.

Às 3h27 minutos, os controladores tentaram contato novamente, uma vez que a aeronave se preparava para deixar o espaço grego e entrar no egípcio, mas não obtiveram resposta. Dez minutos depois, um avião da Força Aérea grega iniciou operações de busca.

Onde estava?

O avião estava a 15 milhas dentro do espaço aéreo do Egito. Lá, desceu de 37 mil pés para 15 mil pés abruptamente e desapareceu do radar em seguida. As operações de busca estão concentradas na região da ilha de Karpathos, Grécia.

Há pouco, a agência de notícias Reuters informou que oficiais gregos encontraram pedaços de plástico flutuando na região da ilha de Creta onde o sinal do transponder teria sido detectado.

A imagem abaixo, registrada no site FlightRadar24, especializado no monitoramento da aviação em todo o mundo, mostra a região na qual a aeronave perdeu o contato com as torres e mostra outras informações sobre o voo:

(Reprodução/FlightRadar24)

Quem são as vítimas?

De acordo com a Egyptair, a aeronave era ocupada por 66 pessoas: 56 passageiros e 10 tripulantes. A maioria delas eram egípcias, mas há nacionais da Bélgica, Chade, França, Sudão e do Reino Unido.

Quem eram o piloto e o copiloto?

A empresa não identificou a equipe nominalmente e se restringiu em informar que o piloto tinha 6.275 horas de voo, das quais 2.100 foram concluídas em Airbus A320. O copiloto, por sua vez, tinha 2.766 horas de voo.

O que pode ter acontecido?

Ainda não há evidências claras sobre se o incidente é fruto de problemas técnicos, falha humana ou de um ataque terrorista. Os relatos são conflitantes até mesmo entre os países envolvidos: enquanto a França crava que a aeronave caiu, o Egito prefere tratar como um desaparecimento.

O presidente francês François Hollande disse mais cedo que não é possível descartar qualquer hipótese, nem mesmo a de um ataque terrorista. Já oficiais egípcios ouvidos pela CNN, disseram ver indícios de que esse sumiço pode ter a ver com um ato de terror.

Essa posição também é a de especialistas ouvidos pelo jornal The Independent, que pediram cautela nas tentativas de decifrar o evento. Para o analista Julian Bray, o fato de os pilotos não terem conseguido emitir um alerta mostra que a aeronave sofreu uma “falha catastrófica”, possivelmente resultado de uma bomba. Não há informações oficiais sobre essa emissão.

Do seu lado, a Egyptair rechaça  as especulações, já que não há informações oficiais sobre o que houve com o voo MS804. Contudo, é preciso lembrar que esse não é o primeiro problema enfrentado pela empresa, nem pelo Egito ou pela França em tempos recentes. 

Em março, no Egito, um homem conseguiu sequestrar uma aeronave da aérea que voava do aeroporto de Alexandria ao Cairo e desviá-lo para o Chipre. No final de 2015, uma aeronave russa caiu na península do Sinai, matando 224 pessoas, num ato reivindicado pelo Estado Islâmico (EI). Na ocasião, o grupo prometeu manter o país em seu alvo. 

Já a França, por sua vez, também já foi vítima de atos do EI, que em novembro de 2015 realizaram uma série de ataques terroristas em Paris e que deixaram mais de 100 mortos. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s