Pela primeira vez, UE registra mais mortes que nascimentos

Em 2015, 5,1 milhões de pessoas nasceram e 5,2 milhões morreram. Isto significa que a UE sofreu pela primeira vez na sua história uma variação natural negativa

Em 2015 a União Europeia registrou pela primeira vez mais mortes que nascimentos, e sua população só não diminuiu devido à instalação de ao menos 1,9 milhão de migrantes em território comunitário, alcançando 510 milhões de habitantes, indicou na sexta-feira o Gabinete de Estatísticas do bloco (Eurostat).

“Ao longo de 2015, houve 5,1 milhões de nascimentos, enquanto 5,2 milhões de pessoas morreram. Isto significa que a UE sofreu pela primeira vez na sua história uma variação natural negativa da sua população”, afirmou a Eurostat em um comunicado.

“A variação demográfica restante, positiva, corresponde essencialmente à contribuição do saldo migratório”, que no ano passado chegou a 1,9 milhão de pessoas, segundo a agência estatística.

Esta cifra representa a diferença entre as pessoas de nacionalidade não europeia instaladas na UE e os cidadãos comunitários que deixaram o bloco.

O ano de 2015 foi marcado pela maior crise migratória na Europa desde o final da Segunda Guerra Mundial.

Grande parte dos migrantes que chegaram ao continente através das ilhas gregas, após saírem das costas turcas, eram refugiados, principalmente sírios, iraquianos e afegãos.

Durante 2015, foram registrados 1,2 milhão de pedidos de asilo de recém-chegados na UE, o dobro que um ano antes, segundo a Eurostat.

Em 1º de janeiro de 2016, a União Europeia contava com uma população estimada de “510,1 milhões de residentes, ante 508,3 milhões em 1º de janeiro de 2015”, afirmou a agência.

De acordo com as tendências observadas nos últimos anos, as taxas de natalidade de países como Irlanda, França, Reino Unido e Suécia são as mais altas da Europa e continuarão ultrapassando as de mortalidade. Países do sul, como Itália, Portugal e Grécia, registram as menores taxas de nascimento.

Mas os países onde a população mais diminuiu devido à diferença entre nascimentos e mortes foram os do leste europeu, como Bulgária, Hungria, Croácia e Romênia.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s