Polônia admite que trem do tesouro nazista talvez não exista

O governador da região polonesa, explicou em entrevista coletiva que "baseado nos documentos disponíveis, não se pode confirmar nenhuma descoberta"

Varsóvia – As autoridades da Polônia admitiram nesta segunda-feira que não há evidências que comprovem a existência do chamado “trem do ouro”, supostamente carregado de tesouros nazistas e desaparecido há 70 anos em circunstâncias misteriosas

O governador da região polonesa da Baixa Silésia, Tomasz Smolarz, explicou em entrevista coletiva que “baseado nos documentos disponíveis, não se pode confirmar nenhuma descoberta”.

As declarações de Smolarsz foram um balde de água fria, depois de na sexta-feira o secretário de Estado de Cultura, Piotr Zuchowski, afirmar “estar 99% convencido da existência do trem”.

Zuchowski se referia a imagens de georradar que confirmavam a localização de um comboio ferroviário blindado a cerca de 100 metros de profundidade.

Hoje Tomasz Smolarz disse não ter visto as imagens citadas por Zuchowski, e pediu cautela ao falar sobre a suposta descoberta.

“Não sei em que se baseiam para falar dessa alta probabilidade”, afirmou a gestora cultural da Baixa Silésia, Barbara Nowak-Obelinda.

O governador regional também lembrou que os documentos apresentados às autoridades locais de Walbrzych pelos supostos descobridores do trem são “poucos e a grande medida ilegíveis”.

“Nos últimos anos tivemos uma grande quantidade de informação sobre este tipo de descoberta, mas nenhuma delas se confirmou”, acrescentou.

Enquanto isso, a área na qual os caça-tesouros dizem ter encontrado o comboio ferroviário continua isolada pela polícia, agentes florestais e bombeiros de Walbrzych, que evitam a entrada de curiosos que foram até a cidade com a esperança de ver o “trem de ouro” com seus próprios olhos.

Smolarz também anunciou que hoje solicitará ao Ministério da Defesa apoio “para realizar operações de reconhecimento com equipes de georradar de alta penetração”.

O governador regional também insistiu que só serão destinados fundos públicos para realizar escavações se houver análises geológicas e históricas “críveis”, que mostrem evidências sérias.

Há duas semanas dois homens, um polonês e um alemão, informaram através de seus advogados terem descoberto um antigo comboio ferroviário nazista carregado de ouro, mas não deram provas da descoberta.

Os advogados disseram que seus clientes só revelariam a localização exata se fosse garantido o pagamento de uma porcentagem, 10% do valor da carga.

Os rumores que circularam durante décadas na região assinalam que um trem nazista blindado e carregado de armas, mas também possivelmente de joias, ouro, obras de arte e documentos de arquivo, desapareceu na rota ferroviária que liga Breslavia a Walbryzich, na Baixa Silésia, região que era território alemão e que depois do fim da Segunda Guerra Mundial foi anexada pela Polônia.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s