Príncipe Maha Vajiralongkorn herdará o tronoda Tailândia

Herdeiro do trono é conhecido por sua vida privada e suas viagens, mas, quando a saúde de seu pai se deteriorou, adotou um papel maior na vida política

O herdeiro do trono da Tailândia, príncipe Maha Vajiralongkorn, é conhecido por sua vida privada e suas viagens, mas, quando a saúde de seu pai se deteriorou, adotou um papel maior na vida política do reino do Sudeste Asiático.

Todos os olhares agora se voltam para o príncipe de 64 anos, após a morte nesta quinta-feira de seu pai, o rei Bhumibol Adulyadej, de 88 anos, o monarca que reinou por mais tempo no mundo.

Além de herdar uma das monarquias mais ricas, estará protegido pelas leis mais rigorosas do planeta contra a difamação de personalidades reais.

Mas o príncipe, duas vezes divorciado, também se tornará chefe constitucional de um país polarizado, preso em um ciclo de golpes de Estado, protestos e violência política.

Bhumibol foi adorado por seus súditos, considerado por muitos uma figura semidivina, e suas regras regiam a vida dos tailandeses.

Vajiralongkorn ainda não alcançou tanta popularidade como seu pai e, diferentemente dele, não está clara sua capacidade de se tornar um elemento unificador acima das lutas políticas.

Durante muitos anos, o príncipe foi pouco ouvido em público, mas diante das ausências de seu pai – e com a Tailândia governada pelos militares – assumiu várias funções oficiais.

No ano passado liderou dois eventos ciclísticos de grande porte muito simbólicos que receberam grande cobertura midiática, ficando, assim, no centro da cena nacional.

Como convém a sua dignidade, o príncipe não apoiou politicamente nenhuma das partes em disputa na política do país.

No entanto, alguns partidários dos “camisas vermelhas” do primeiro-ministro deposto, o multimilionário Thaksin Shinawatra e sua família, carregavam retratos do príncipe herdeiro em manifestações antes do golpe de Estado de 2014.

Segundo os especialistas, a agitação política na Tailândia é fruto das preocupações entre as elites, que competem por sua participação no futuro do reino.

Uma delas, alinhada com a monarquia, que inclui grande parte do exército e do poder judicial, esmagou os recentes movimentos democráticos na Tailândia, nos últimos anos impulsionados pelo ódio a Thaksin.

Este grupo deu dois golpes de Estado durante os governos dele e acusou o clã Shinawatra de comprar votos e praticar um populismo descarado.

Novo centro das atenções

Nascido em 28 de julho de 1952, Vajiralongkorn completou seu ensino médio na Grã-Bretanha, entrou posteriormente na real universidade militar da Austrália e finalmente no exército de seu país.

Também desenvolveu uma paixão por voar, e após estudar nos Estados Unidos pilotou aviões de combate na Tailândia e da companhia aérea nacional Thai Airways.

Até agora há poucas informações sobre ele por medo de violações da rígida lei de difamação real, que restringe os comentários sobre a monarquia. Esta lei prevê penas de até 15 anos de prisão por difamar o rei, a rainha, o herdeiro ou o regente.

Os julgamentos dispararam e as penas aumentaram para mais de 20 anos depois do golpe de Estado de maio passado, sobretudo por comentários publicados on-line.

Os especialistas dizem que a clara intenção do príncipe herdeiro de fazer com que a legislação de lesa majestade seja cumprida ilustra muito sua visão da monarquia.

Em dezembro de 2015 foi realizada a segunda grande “bicicletada”.

No entanto, estes eventos foram manchados por um escândalo de corrupção, no qual foram acusados funcionários de alto escalão, incluindo do exército e da polícia, e de lesa majestade por supostamente utilizar seus contatos com o príncipe para tirar proveito dos acontecimentos.

Duas destas pessoas, incluindo um adivinho que foi próximo ao príncipe, morreram sob custódia militar dias depois de sua detenção.

Este episódio foi registrado vários meses depois da queda em desgraça da ex-mulher de Vajiralongkorn, a princesa Srirasmi, em outro escândalo que revelou ao público as intrigas palacianas.

Ao menos oito familiares da ex-princesa foram detidos por acusações de lesa majestade, incluindo seus pais idosos, sua irmã mais velha, seu cunhado, dois irmãos e um sobrinho.

Srirasmi não foi detida, mas despojada rapidamente do título real e se divorciou do príncipe.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s