Protesto contra Macri reúne milhares de pessoas na Argentina

O protesto também abordou outros temas, como a designação por decreto de Macri de dois juízes da Suprema Corte e o forte ajuste dos salários

Milhares de argentinos, entre eles vários ex-ministros “kirchneristas”, protestaram nesta quinta-feira diante do Congresso contra uma série de medidas adotadas pelo presidente Mauricio Macri, que assumiu o poder há uma semana na Argentina.

“Para fortalecer a democracia precisamos da pluralidade de vozes”, foi o slogan da passeata convocada para defender a lei contra o monopólio nos meios de comunicação aprovada em 2009 por iniciativa da então presidente Cristina Kirchner.

O protesto também abordou outros temas, como a designação por decreto de Macri de dois juízes da Suprema Corte e o forte ajuste dos salários, que supõe a liberação do dólar, que nesta quinta-feira sofreu uma desvalorização de quase 30%.

Macri designou na segunda-feira por decreto os juristas Horacio Rosatti e Carlos Rosenkrantz para ocupar duas cadeiras vagas na Suprema Corte, sem passar pela aprovação do Senado, onde a oposição tem maioria.

O protesto teve a presença de Daniel Scioli, candidato presidencial apoiado por Kirchner e derrotado por Macri na eleição de novembro passado.

“Não queremos colocar paus na roda, mas não permitiremos que se viole a Constituição como ocorre com a designação dos ministros da Suprema Corte, nem que se modifiquem leis através de decretos, como no caso da lei dos meios de comunicação”, advertiu o deputado Héctor Recalde, chefe do bloco parlamentar “kirchnerista” Frente para a Vitória.

Os manifestantes reagiram à decisão do governo Macri de colocar sob a órbita do novo ministério da Comunicação o organismo autônomo AFCSA, criado pela lei de Serviços Audiovisuais para garantir sua aplicação.

O protesto contou com a presença de militantes da Frente para a Vitória (FpV), membros de organizações sociais, sindicalistas e outros grupos aliados de Kirchner.

A passeata teve ainda os ex-ministros Axel Kicillof (Economia) e Agustín Rossi (Defesa), e o ex-presidente das Aerolíneas Argentinas Mariano Recalde, entre outros.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s