Putin pede na ONU ampla coalizão contra o Estado Islâmico

"Seria parecida com a coalizão contra Hitler", na 2ª Guerra Mundial, e os países árabes "teriam um papal-chave", afirmou em seu 1º discurso desde 2005 na ONU

O presidente russo, Vladimir Putin, pediu nesta segunda-feira ante a Assembleia Geral da ONU uma ampla coalizão antiterrorista para lutar contra os jihadistas do grupo Estado Islâmico no Iraque e na Síria.

“Seria parecida com a coalizão contra Hitler”, na Segunda Guerra Mundial, e os países árabes “teriam um papal-chave”, afirmou em seu primeiro discurso desde 2005 no plenário das Nações Unidas de Nova York.

Segundo Putin, a recusa de cooperar com o exército e o governo sírios é ‘um erro enorme’.

“Seria um erro enorme não cooperar com aqueles que combatem frontalmente o terrorismo”, enfatizou.

“Devemos reconhecer que ninguém salvo as forças armadas do presidente Assad combatem realmente o Estado Islâmico e outras organizações terroristas na Síria”, declarou o líder russo.

Antes, o presidente Barack Obama, em seu discurso na mesma assembleia, denunciou quem apoia líderes como o presidente sírio Bashar Al-Assad, acusando-o de ser responsável pela morte de crianças.

A acusação foi um ataque direto à Rússia e ao Irã por seu apoio militar ao regime sírio.

Obama declarou que alguns Estados preferem estabilidade sobre a ordem internacional chancelada pela Carta das Nações Unidas, e tentam impô-la à força.

“Dizem que tal contenção é necessária para derrotar a desordem, que é a única maneira de acabar com o terrorismo ou prevenir a interferência estrangeira”, afirmou.

“De acordo com esta lógica, deveríamos apoiar tiranos como Bashar al-Assad, que lança bombas de barril para massacrar crianças inocentes, porque a alternativa seria certamente pior”, disse.

Rússia e Irã argumentaram que as potências mundiais deveriam apoiar o regime de Bashar al-Assad, ao menos até que as forças sírias consigam derrotar o grupo jihadista Estado Islâmico.

Obama disse, no entanto, que está “preparado para trabalhar com qualquer nação, incluindo a Rússia e o Irã, para resolver o conflito”.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s