Repressão húngara força imigrantes a mudarem de rotas

"Estamos prontos para aceitar e direcionar essas pessoas", afirma o primeiro-ministro croata, Zoran Milanovic

Budapeste – A repressão húngara na fronteira com a Sérvia mudou os planos de imigrantes que tentam alcançar países da União Europeia e forçou muitos a considerar novas rotas nesta quarta-feira, principalmente em direção à Croácia, ameaçando um efeito dominó que poderia levar mais países do continente a entrarem em crise.

Centenas de pessoas ainda esperam para cruzar a fronteira – muitos em tendas ou enrolados em sacos de dormir – no lado da Sérvia.

A polícia húngara manteve a rodovia mais importante que cruza os países fechada, selando a fronteira para o fluxo de milhares de imigrantes que se dirigiam diariamente para os países mais ricos da União Europeia e mais acolhedores.

A decisão levou a Croácia, que é vizinha da Hungria e da Sérvia, a se preparar para a chegada de imigrantes que estavam esperando para atravessar a fronteira.

O primeiro-ministro croata, Zoran Milanovic, disse que seu país iria lidar com os imigrantes ou encaminhá-los mais ao norte, principalmente para a Alemanha e à Suécia, onde muitos esperam procurar asilo.

“Estamos prontos para aceitar e direcionar essas pessoas”, disse Milanovic. Eles “serão poderão passar através da Croácia e estamos trabalhando intensamente para permitir isso”.

Cerca de 150 imigrantes atravessaram a fronteira da Sérvia para a Croácia durante à noite, disse o Ministério do Interior da Croácia.

Ao contrário da Alemanha, em particular, a Hungria tem tomado medidas cada vez mais difíceis para os imigrantes. Na terça-feira, o país fechou o restante da cerca na fronteira com a Sérvia e impôs novas leis mais duras, inclusive tornando a travessia da fronteira ilegalmente um crime punível com até três anos de prisão.

Nesta quarta-feira, autoridades húngaras disseram que prenderam 367 imigrantes que tinham atravessado ilegalmente a fronteira. Um recorde de 9.380 imigrantes entraram na Hungria na segunda-feira, antes que o país fechasse a sua fronteira e estipulasse a nova lei. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s