Rússia proíbe livros de dois historiadores britânicos

As autoridades pedem às bibliotecas para “verificarem a disponibilidade dos livros para tomarem medidas para removê-las do acesso de estudantes e professores”

A Rússia mandou retirar das bibliotecas escolares e universitárias de todo país os livros dos reconhecidos historiadores britânicos John Keegan e Antony Beevor, alegando que as obras destes autores promovem os estereótipos da época do regime nazista, divulgou hoje (5) uma porta-voz oficial.

Em decreto assinado pelo Ministério da Educação regional de Sverdlovsk, as autoridades russas pedem às bibliotecas para “verificarem a disponibilidade dos livros [dos historiadores britânicos] para tomarem medidas para remover [as obras] do acesso de estudantes e professores”.

Os autores John Keegan (falecido em 2012) e Antony Beevor são historiadores de renome internacional, cuja obra é focada na história militar, em particular na época da Segunda Guerra Mundial (1939/1945).

As obras deles, especificamente o sucesso literário de Antony Beevor Berlim: A Queda, 1945, têm sido criticadas na Rússia por focarem as atrocidades cometidas durante os avanços do Exército Vermelho russo até a capital alemã.

As autoridades regionais de Sverdlovsk afirmaram que os livros destes historiadores, sem citar uma obra específica, “propagam estereótipos formados durante a época do terceiro reich”, segundo uma cópia digitalizada do decreto publicada em um site de notícias local.

Em declarações à agência francesa AFP, a porta-voz do governador regional, Yulia Voronina, confirmou a existência do decreto, acrescentando que as bibliotecas do país estão sendo inspecionadas.

Em comunicado enviado à AFP, as autoridades administrativas daquela região russa afirmaram que “muitos historiadores acreditam que livros de autores como John Keegan e Antony Beevor têm uma interpretação errada sobre os acontecimentos da Segunda Guerra Mundial, contradizem documentos históricos e são inspirados em estereótipos da propaganda nazista”.

A Rússia intensificou neste ano a campanha contra as influências ocidentais.

Segundo o decreto do ministério, os livros de John Keegan e Antony Beevor foram publicados na Rússia pela Fundação Open Society, do bilionário e filantropo norte-americano George Soros.

Em julho, a Câmara Alta do Parlamento russo (Conselho da Federação Russa) elaborou uma lista de organizações “indesejáveis” recomendadas para proibição. A Fundação Open Society de George Soros integra a lista.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s