Rússia propõe aos EUA bombardeios conjuntos na Síria

"Não colaboramos ou coordenamos com os russos nenhuma operação na Síria", disse a jornalistas um porta-voz do Pentágono, Jeff Davis

A Rússia propôs aos Estados Unidos e à coalizão internacional liderada por Washington efetuar bombardeios conjuntos a partir de 25 de maio contra “grupos terroristas” ativos na Síria, mas a proposta foi rejeitada pelo Pentágono.

“Não colaboramos ou coordenamos com os russos nenhuma operação na Síria”, disse a jornalistas um porta-voz do Pentágono, Jeff Davis.

De acordo com o funcionário, o objetivo das operações russas e americanas não é o mesmo.

“As operações russas consistem em sustentar e apoiar o regime de (Bashar al) Assad e nós nos concentramos unicamente na derrota do grupo Estado Islâmico”, disse.

“Não vi mais que os mesmos informes de imprensa que vocês, não nos apresentaram nada formal”, afirmou.

Mais cedo, a Rússia propôs aos Estados Unidos e à coalizão internacional liderada por Washington a realização de bombardeios conjuntos a partir de 25 de maio contra “grupos terroristas” ativos na Síria, anunciou nesta sexta-feira o ministro russo da Defesa, Serguei Shoigu.

“Propomos aos Estados Unidos (…) que as forças aéreas russas e a aviação da coalizão dirigida pelos Estados Unidos comecem a partir de 25 de maio a planejar e realizar bombardeios conjuntamente” contra grupos terroristas, como a Frente al-Nosra, braço sírio da Al-Qaeda, declarou o ministro em uma reunião em Moscou, transmitida ao vivo pela televisão pública.

Trata-se de agir também contra os grupos armados ilegais que não apoiam o cessar-fogo instaurado na Síria desde 27 de fevereiro, assim como os grupos armados e as “caravanas que transportam armas e munições que cruzam ilegalmente a fronteira turco-síria”, acrescentou o ministro.

A Turquia, membro da Otan, que faz parte da coalizão internacional, a priori se oporia aos bombardeios perto da sua fronteira.

A Rússia e os Estados Unidos se comprometeram no início de maio a redobrar esforços para alcançar uma solução política ao conflito sírio, que em cinco anos deixou mais de 270.000 mortos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s