Síria acusa aviões franceses de perpetrar massacre de civis

Segundo o governo, "a agressão francesa tirou a vida de mais de 120 civis, a maioria menores, mulheres e idosos, além de ter deixado dezenas de feridos"

Beirute – O governo sírio acusou os aviões da França, pertencentes à coalizão internacional, de perpetrarem um massacre de civis em um povoado ao norte da cidade de Manbech, sob o controle do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), informou nesta quarta-feira a televisão síria.

O Ministério sírio de Relações Exteriores enviou duas cartas à Secretaria-Geral e ao Conselho de Segurança da ONU nas quais afirma que aviões franceses “executaram um massacre injusto nos territórios da Síria perto da fronteira com a Turquia, onde atacaram a cidade de Tujan al Kubra, ao norte de Manbech”.

“A agressão francesa tirou a vida de mais de 120 civis, a maioria menores, mulheres e idosos, além de ter deixado dezenas de feridos, a maioria também crianças e mulheres”, se queixou o Ministério em suas mensagens.

O Executivo sírio acrescentou que o ataque francês aconteceu depois que aviões dos EUA, da coalizão internacional, tiveram como alvo na segunda-feira a cidade de Manbech, onde morreram mais de 20 civis e dezenas ficaram feridos.

“O governo da República Árabe da Síria condena categoricamente os dois massacres sangrentos perpetrados por aviões franceses e americanos e os daqueles filiados à chamada coalizão (internacional), que enviam seus mísseis e bombardeiam civis, ao invés de dirigi-los contra grupos terroristas”.

De acordo com as autoridades sírias, tanto EUA como França, assim como Turquia, Arábia Saudita, Reino Unido e Catar, continuam apoiando organizações terroristas, que “eles denominam grupos moderados como a Frente al Nusra, o Exército da Conquista, o Exército do Islã e a Brigada al Tauhid (monoteísmo)”.

Na sua opinião, este fato demonstra que ditos estados “não são sérios na luta contra o terrorismo”.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou ontem sobre a morte de 56 civis em um suposto bombardeio da coalizão internacional ao norte de Manbech, no nordeste da província setentrional de Aleppo.

Há dois dias, a ONG destacou que pelo menos 104 civis, entre eles 29 menores, perderam a vida pelos bombardeios da coalizão em Manbech desde o início do ataque das Forças da Síria Democrática (FSD), uma coalizão armada curdo-árabe à qual presta apoio a aliança internacional. EFE

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s