Ambev quer comprar fábrica da Brasil Kirin no Rio

As duas empresas atuam no mercado de fabricação de cerveja e tiveram de pedir autorização ao Cade, órgão que regula concentração dos mercados

São Paulo – A Ambev pretende comprar a fábrica da Brasil Kirin, do grupo japonês Kirin Holdings, dedicada à produção e envase de bebidas em Cachoeiras de Macacu, no Rio de Janeiro.

O negócio foi divulgado em publicação no Diário Oficial da União desta sexta-feira pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que deu publicidade à operação, ainda não aprovada pelo órgão antitruste.

Procurada, a Ambev disse que a operação se enquadra em seu plano de evolução da capacidade produtiva e de distribuição e que a fábrica produzirá tanto cerveja quanto refrigerante para a companhia.

“Essa oportunidade vai ao encontro da estratégia de otimizar capacidade produtiva em plantas modernas, próximas das principais áreas de consumo”, afirmou em nota. A operação, que não inclui outros ativos da Brasil Kirin, “não é material para a Ambev”, acrescentou.

Segundo documento das empresas entregue ao Cade, o negócio ocorre conforme a Brasil Kirin busca redimensionar sua capacidade produtiva com a venda de uma unidade produtiva na região Sudeste.

A Brasil Kirin detém rótulos como Schin, Devassa e Baden Baden e possui 13 fábricas no Brasil incluindo a unidade de Cachoeiras de Macacu, a única no Estado do Rio de Janeiro.

A Brasil Kirin confirmou as discussões para a venda da unidade e afirmou em comunicado à imprensa que a fábrica continuará operando normalmente durante o processo de avaliação do negócio pelo Cade. A empresa não informou a capacidade de produção da fábrica ou o valor discutido com a Ambev para a venda.

O documento no Cade afirma ainda que, especificamente no caso da Ambev, a busca por expansão da capacidade tem por objetivo atender a projeção de demanda nos próximos anos.

Em março, a produção de cerveja no Brasil caiu cerca de 20 por cento sobre o mesmo período do ano passado, acumulando no primeiro trimestre queda de 6,7 por cento ante os três primeiros meses de 2015.

Texto atualizado às 14h48 para acrescentar mais informações 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s