Como o escândalo do diesel deve abalar a Volkswagen

O grupo alemão entrou numa espiral de má notícias que não deve acabar tão cedo

São Paulo – Desde o final da semana passada, quando o governo federal dos EUA divulgou acusações de que a Volkswagen teria adulterado o software de quase meio milhão de veículos a diesel para mascarar suas emissões de poluentes, o grupo alemão entrou numa espiral de má notícias que não deve acabar tão cedo.

A mais recente confirma que a empresa será processada criminalmente pelo Departamento de Justiça dos EUA. Isso significa que executivos da marca poderão ser processados e condenados individualmente, além das multas a serem aplicadas.

As versões TDI dos Jetta, Passat, Golf e Beetle representam 22% das vendas da VW nos EUA. Seu sucesso ajudou a solidificar os planos do grupo para o maior mercado automotivo do mundo, e são parte fundamental da ambição de se tornar a maior fabricante do planeta, ultrapassando a Toyota.

Nesse exato momento, porém, as vendas de todos os modelos VW equipados com o motor 2.0 TDI de quatro cilindros estão suspensas nos EUA.

Mais grave ainda é decidir o que fazer com os 482 mil veículos que já foram vendidos com o problema.

Um grande e custoso recall que ajuste as emissões de poluentes aos níveis corretos certamente causará reduções nas marcas de desempenho e consumo dos carros, diminuindo o valor de revenda e criando enorme insatisfação entre os clientes.

Além disso, considerando que a multa determinada pela EPA por cada veículo adulterado é de 35 mil dólares, a multa total do escândalo poderia chegar a 18 bilhões de dólares – bem mais que os 12,3 bilhões de dólares de lucro que todas as marcas do grupo (Audi, Porsche, VW, Seat…) acumularam no mundo inteiro em 2014.

Os acionistas da Volkswagen também já sentem no bolso o momento de turbulência. Na segunda-feira as ações da VW na Europa caíram 20 por cento, o que representa uma perda de quase 15 bilhões de dólares no valor de mercado da empresa.
A denúncia chega num momento de discussão a respeito do próprio diesel.

Na Europa, questiona- se a capacidade de reduzir seus poluentes numa escala comparável à dos novos motores de ciclo Otto, menores e superalimentados. Nos EUA, a Volks parecia finalmente estabelecer uma fatia de mercado para os motores a diesel no país. Com o escândalo, a popularização do combustível deve continuar para depois. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s