Light seguirá analisando oportunidades em futuros leilões

De acordo com o diretor de Energia, Luis Fernando de Almeida Guimarães, a companhia continua mapeando "boas oportunidades"

São Paulo – O elevado nível de alavancagem não deve afastar a Light de futuros leilões na área de geração de elétrica.

De acordo com o diretor de Energia, Luis Fernando de Almeida Guimarães, a companhia continua mapeando “boas oportunidades” e, caso elas existam, a Light poderia participar de licitações a partir de sociedades de propósito específico (SPEs).

A criação de uma SPE é uma alternativa para não provocar pressão adicional à alavancagem da companhia.

A relação entre dívida líquida e Ebitda da Light ultrapassou o limite negociado com credores ao final do segundo trimestre, e por isso a diretoria da companhia iniciou negociações com instituições financeiras para evitar uma solicitação de antecipação de pagamento.

Essa possibilidade existirá caso os limites estabelecidos em contrato sejam superados novamente no terceiro trimestre.

Sem comentar questões relacionadas à saúde financeira da Light, o diretor de Energia destacou que a prioridade da companhia neste momento é a construção da usina de Itaocara, uma hidrelétrica leiloada em abril passado.

O projeto, avaliado em R$ 1 bilhão, deverá entrar em operação no segundo trimestre de 2018. A empresa e a Cemig, uma das controladoras da Light, compõem o consórcio vencedor.

O foco no projeto, contudo, não impedirá a companhia de analisar, por exemplo, o leilão de usinas cujas concessões venceram nos últimos meses. O certame foi agendado para o dia 30 de outubro.

Distribuição

Além das obras de Itaocara, outra frente de trabalho que tem merecido atenção especial por parte da Light é o combate à inadimplência, uma ameaça que se torna mais evidente em períodos de maior consumo elétrico, ou seja, durante o verão.

Para combater a inadimplência em tempos de crise, a Light tem apostado em iniciativas de conscientização e negociação com consumidores cujas contas estão atrasadas.

De acordo com o executivo, o objetivo da Light é garantir que as taxas de inadimplência registradas nos últimos meses não sofram mudanças durante o verão.

O risco, pontua Guimarães, é a atual situação econômica brasileira. “Nossa grande dúvida é como irá se desenrolar a crise econômica”, afirma o executivo, que participou nesta quarta-feira, 16, do Energy Summit 2015, em São Paulo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s