MMX não descarta novas parcerias para futuros projetos

MMX explica a negociação com Mubadala e Trafigura; acompanhe

13/09/2013 – 15:16

Obrigado a todos que acompanharam a teleconferência pela EXAME.com. Tenham todos um excelente fim de tarde!

13/09/2013 – 15:15

No geral, a diretoria da MMX procurou passar uma mensagem de que o acordo é o passo mais importante para o futuro da empresa, porque liberou o caixa e o aliviou das dívidas. Com isso, tornou-se mais atrativo para uma eventual parceria para novos projetos.

13/09/2013 – 15:12

A teleconferência da MMX está encerrada.

13/09/2013 – 15:11

Esta foi a etapa mais importante da MMX, diz presidente

Gonzalez: foi um trabalho extremamente duro para concluir esta etapa da empresa, mas foi a etapa mais importante da empresa. Isso nos dá muita tranquilidade para pensar os próximos passos da empresa e pensar como colocar os 7 milhões de toneladas por ano.

13/09/2013 – 15:10

Gonzalez faz as considerações finais.

13/09/2013 – 15:09

Sessão de perguntas está encerrada.

13/09/2013 – 15:09

MMX terá um assento no conselho da Porto Sudeste SA

A MMX vai ter algum papel ativo na administração do Porto? Gonzalez diz que a MMX SA tem direito a um assento no conselho de administração do Porto Sudeste SA.

13/09/2013 – 15:07

Margem de comércio de minério seria de até US$ 25 por ton

Qual é margem de uma trading, no qual a MMX vai ganhar 35% da operação? Gonzalez diz que, hoje, existe um cenário muito pessimista em relação ao preço futuro de minério. Eu acredito numa margem de 20 a 25 dólares por tonelada, numa situação pessimista. Isso considerando mercado Brasil. Comprando em Minas e vendendo no porto. Num cenário melhor, as margens cresceriam.

13/09/2013 – 15:03

A vantagem, agora que nos encontramos sem díviidas, é que temos uma boa infraestrutura de porto. Agora, estamos com muita tranquilidade e muita flexibilidade para pensar neste expansão, seja por nós mesmos, seja com um parceiro, diz Gonzalez.

13/09/2013 – 15:02

Sobre a expansão da mina e um novo capex: tivemos uma grande expansão na área de infraestrutura. O que falta é a parte civil. A gente definiu um período, até julho de 2015, para repensar se faríamos a expansão por nós mesmos, alavancando o capex.

13/09/2013 – 15:01

Sobre a trading: teremos 35% da trading com o Porto, mas isso se refere à compra de minério de terceiros no erntorno da nossa mina. A nossa produção continua nossa, diz Gonzalez.

13/09/2013 – 14:59

Sobre a tarifa portuária que será paga pela MMX ao Porto Sudeste: não gostaria de divulgar, por questões comerciais, mas é bastante competitiva, diz Gonzalez.

13/09/2013 – 14:59

Gonzalez: desses 2,734 bilhões de reais, a parte da mina é de cerca de 1,3 bilhão.

13/09/2013 – 14:58

Sobre o perfil da dívida: dos 2,734 bilhões de reais de dívida, quanto era da MMX Sudeste e quanto já era do Porto?

13/09/2013 – 14:56

MMX está recebendo propostas para a mina de Corumbá

Sobre o projeto de Corumbá, estamos recebendo propostas e estamos em fase avançada de negociação, diz Gonzalez.

13/09/2013 – 14:54

Renegociação de dívida não é para mudar os valores

Sobre a renegociação de dívidas com bancos: não tem mudança nenhuma de valor. São apenas questões contratuais, diz Gonzalez.

13/09/2013 – 14:53

O que está sendo redesenhado, é o contrato entre a mina e o porto. Agora, todos os outros compromissos da MMX11 foram assumidos pelo porto, diz Gonzalez.

13/09/2013 – 14:50

Gonzalez: como o porto ficou com a obrigação de pagar os royalties, não tem vencimento antecipado. Só haveria vencimento antecipado, se as obrigações não fossem junto.

13/09/2013 – 14:50

Analista: nos termos dos royalties, consta que pode haver vencimento antecipado, no caso de mudança de controle Se a Mubadala e a Trafigura agora têm 65% de fatia, não é um motivo para antecipar o vencimento?

13/09/2013 – 14:49

Sobre os royalties: a superporto Sudeste é agora responsável pelos royalties do MMX11. E não implica no vencimento antecipado dos royalties.

13/09/2013 – 14:48

O importante é que estamos entrando com uma empresa nova, sem dívidas, e com um empréstimo de 150 milhões de dólares de nossos investidores.

13/09/2013 – 14:47

Sobre o ramp up do porto Sudeste (curva de início de operação). Gonzalez: eles estão sendo revistos, mas acontecerão o mais breve possível.

13/09/2013 – 14:46

Ainda sobre o take or pay: o contrato com a Usiminas foi para o Porto Sudeste. Agora, então, é uma obrigação do Porto Sudeste. Com relação ao contrato com a MRS, nossa confiança se baseia na nossa pesquisa jurídica. 

13/09/2013 – 14:44

Gonzalez: os prazos estão mantidos.

13/09/2013 – 14:43

Sobre o take or pay: não existe nenhums implicação jurídica de alterar o contrato? 

13/09/2013 – 14:41

Operação do Porto Sudeste começa até o 1ª semestre de 2014

Sobre o cronograma do porto Sudeste: tínhamos previsão de iniciar a primeira linha do porto até 31 de dezembro. Ela não vai acontecer por um motivo simples: pela negociação com os potenciais investidores. Agora, o Mubadala e a Trafigura tem todo o interesse de iniciar as operações. Mas ela vai ocorrer, com certeza, no primeiro semestre de 2014.,

13/09/2013 – 14:40

Sobre compra de minério de terceiros: vamos comprar minério de terceiros para fazer um blending com o minério da MMX para equalizar a qualidade.

13/09/2013 – 14:39

Sobre o take or pay: ele é proporcional à nossa capacidade de produção. Vai ser redimensionado para 7 milhões de toneladas.

13/09/2013 – 14:38

Sobre as condições para ampliar a fatia da MMX SA em 7,5% no porto Sudeste: depende da taxa de retorno. Estamos conversando com a Trafigura e Mubadala.

13/09/2013 – 14:38

Sobre a expansão para 13 milhões de toneladas: nos baseamos nos 7 milhões de toneladas que vamos produzir. Nos demos como patamar os 13 milhões de toneladas com prazo de 2015, para ter tempo de redefinir o plano de negócios da MMX. Se concluirmos que pode ser maior que isso, como 25 milhões de toneladas, garantimos que pelo menos 13 milhões de toneladas tenham preço competitivo.

13/09/2013 – 14:36

Sobre as tarifas que serão praticadas pelo Porto para a MMX: vamos ter uma tarifa diferenciada e competitiva. 

13/09/2013 – 14:35

Compromissos com fornecedores somam R$ 300 milhões

O montante dos compromissos com fornecedores está no balanço: algo em torno de 300 milhões de reais.

13/09/2013 – 14:34

100% da dívida da MMX Sudeste vai para o Porto Sudeste

Gonzalez: 100% da dívida, hoje, vai para o porto Sudeste.

13/09/2013 – 14:34

Outra pergunta: 100% da dívida vai sair da MMX Sudeste para a dívida mesmo? 

13/09/2013 – 14:33

Nova pergunta: houve alguma mudança de participação da EBX e da Centennial na MMX11? Segundo Gonzalez, esta é uma discussão que cabe ao acionista. A MMX SA não tem envolvimento.

13/09/2013 – 14:32

Quanto à cláusula de take or pay da MRS: estamos em renegociação. Já foram iniciadas e estamos vendo a melhor forma de abordar isso.

13/09/2013 – 14:31

Gonzalez: já que temos um porto, temos possibilidade de fazer trading, com base nos pequenos produtores do quadrilátero de Minas. Definimos que toda a comercialização de trading será feita via Porto Sudeste.

13/09/2013 – 14:30

Outra pergunta: qual o potencial de compra de minério de terceiros, no sistema MRS?

13/09/2013 – 14:29

Outra pergunta, sobre MMX11: existe possibilidade de pagamento antecipado de royalties aos detentores de bons? Gonzalez afirma que não existe essa possibilidade.

13/09/2013 – 14:27

Temos uma mina vizinha a Serra Azul, que é Pau de Vinho, que pode elevar a vida útil para até 2022 ou 2023, sem alterar o nosso capex (orçamento), diz Gonzalez.

13/09/2013 – 14:26

Gonzalez: temos uma produção atual de 6 milhões de toneladas e devemos subir para 7 milhões de toneladas no ano que vem. Estamos revendo a vida útil de Serra Azul para talvez 2018.

13/09/2013 – 14:25

Terceira pergunta: qual seria a vida útil de Serra Azul, considerando uma capacidade de produção atual de 8 milhões de toneladas de minério por ano, com reserva total de 1 bilhão de toneladas (10% friável)

13/09/2013 – 14:24

Conclusão de venda é condicionada à negociação de dívidas

Gonzalez sobre a segunda pergunta: há condições precedentes para concluir a transação. Uma delas é a renegociação de dívidas junto aos bancos.

13/09/2013 – 14:23

Gonzalez sobre a primeira pergunta: as condições econômicas continuam as mesmas. 

13/09/2013 – 14:22

Segunda pergunta: o que falta para que o acordo seja concluído, já que o que foi anunciado é um  memorando de negociação.

13/09/2013 – 14:21

Primeira pergunta: como ficam os volumes de take or pay, cláusula do Porto Sudeste com a Usiminas e a MMX que determina o uso do porto ou o pagamento, mesmo sem a utilização.

13/09/2013 – 14:20

Gonzalez abre a teleconferência para perguntas dos investidores.

13/09/2013 – 14:20

Discussão da melhor solução para a MMX demorou de dois a três meses.

13/09/2013 – 14:19

Dívida total representa quase metade do valor do porto

A avaliação de 6,152 bilhões de reais de valor atribuído ao superporto Sudeste é composta por: 477 milhões de equity (ativos e bens), 2,734 bilhões de reais de dívida total; 2,940 bilhões de reais de royalties a valor de mercado.

13/09/2013 – 14:17

Porto Sudeste foi avaliado em R$ 6 bilhões na transação

A transação atribui um valor implícito do Porto Sudeste de aproximadamente 6 bilhões de reais.

13/09/2013 – 14:16

Investidores disponibilizam um empréstimo ponte de até 150 milhões de dólares

13/09/2013 – 14:15

MMX Sudeste Mineração continua como subsidiária integral da MMX SA

13/09/2013 – 14:15

Mubadala e Trafigura assumem todas as dívidas bancárias da MMX Sudeste Mineração, além de obrigações dos papéis da MMXM11

13/09/2013 – 14:14

Gonzalez começa a resumir os termos da transação: aporte de 400 milhões de dólares da Trafigura e Mubadala no Superporto Sudeste.

13/09/2013 – 14:13

Temos de pensar agora em como expandir a MMX

Próximo passo: pensar a MMX como uma empresa de 7 milhões de toneladas por ano, mas pensando em como realizar a expansão para 13 milhões de toneladas, já que não teremos mais o Chile, nem o controle do porto.

13/09/2013 – 14:12

Sócios reforçam estratégias das empresas

Temos dois sócios, como o Mubadala, com uma capacidade financeira tremenda. E, se a gente tinha intenção de fazer trading, não há sócio melhor que a suíça Trafigura (uma trading de commodities).

13/09/2013 – 14:10

Não haverá diluição dos acionistas; quadro está inalterado

Ao final do processo, temos uma estrutura inalterada de acionista, o que é importante para os minoritários.

13/09/2013 – 14:09

Rearranjo foca corte de dívidas e geração de receita

Este é mais um passo, dado os planos de reorientação da empresa. O rearranjo tem foco na geração de receita e redução de dívidas, diz Gonzalez

13/09/2013 – 14:08

Gonzalez começa a apresentação.

13/09/2013 – 14:06

A teleconferência está começando. Quem vai participar é o diretor presidente e de RI da MMX, Carlos Roberto Gonzalez.

13/09/2013 – 14:06

A venda de ativos das empresas de Eike Batista é um dos modos encontrados para aliviar o caixa das companhias. Com dívidas crescentes e pouca geração de receita, o mercado as vê com desconfiança.

13/09/2013 – 14:03

Mubadala pode descontar valor do porto da dívida da EBX

Para pagar a transação, a Mubadala não descarta usar parte do crédito de 1,5 bilhão de dólares que ainda tem com o Grupo EBX, de Eike Batista, segundo a Dow Jones.

13/09/2013 – 14:01

A teleconferência da MMX deve começãr em cinco minutos, segundo aviso dos organizadores neste instante. Acompanhe ao vivo  em EXAME.com.

13/09/2013 – 14:01

Livre de dívidas

Para a MMX, o acordo alivia a pressão sobre o caixa, já que a livra das dívidas bancárias.

13/09/2013 – 14:00

MMX garante espaço para movimentar 7 milhões de toneladas

O acordo envolve, também, uma parte operacional. Como os estrangeiros podem assumir o controle do porto, a mineradora procurou garantir seu espaço de embarque. Seria reservada uma capacidade de embarque de 7 milhões de toneladas por ano para a MMX. Esse volume poderia subir para 13 milhões, caso a mineradora solicite a ampliação até 30 de junho de 2015.

13/09/2013 – 13:58

O porto sudeste tem lifcença para movimentar 50 milhões de toneladas por ano, com possibilidade de expansão para 100 milhões de toneladas. Ele também tem possibilidade de atuar como trading (negociador) de minério.

13/09/2013 – 13:56

A teleconferência com investidores, convocada pela MMX, deve começar em instantes. Acompanhe ao vivo em EXAME.com

13/09/2013 – 13:54

Venda de porto alivia o caixa da MMX

Para assumir o controle do porto, a Mubadala e a Trafigura terão de desembolsar 400 milhões de dólares, envolvendo a subscrição de ações da MMX Porto Sudeste. Também deverão assumir as dívidas bancárias da MMX Sudeste.

Eike garante porto e prepara expansão da MMX com acordo

13/09/2013 – 13:53

Acordo passa controle do Porto Sudeste a Mubadala

As negociações foram anunciadas nesta terça-feira. Segundo o comunicado, foi assinado um memorando de entendimentos com a Mubadala e a Trafigura, envolvendo a possível venda de 65% do Superporto do Sudeste para o consórcio.

13/09/2013 – 13:51

Teleconferência começa em instantes

A MMX realiza, em instantes, teleconferência para explicar a negociação com a Mubadala, o fundo soberano de Abu Dhabi, e a suíça Trafigura. Acompanhe em EXAME.com.

MMX negocia venda de 65% do Superporto Sudeste

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s