MP tenta localizar ex-presidente da Bombardier por cartel

O canadense Serge Van Temsche desde 2013 vem sendo procurado pelo Gedec para se manifestar sobre as suspeitas de ter participado de fraude do Metrô

São Paulo – O canadense Serge Van Temsche, que desde 2013 vem sendo procurado pelo Gedec para se manifestar sobre as suspeitas de ter participado de fraude na licitação de R$ 162 milhões para a expansão da Linha 2- Verde do Metrô de São Paulo.

Naquela ocasião, ele foi procurado durante o inquérito criminal e a Bombardier, empresa presidida por ele de 2001 a 2006, informou um endereço dele em São Paulo.

Ainda assim, ele não foi localizado pelo Ministério Público, que em março de 2014 o denuncia e pede sua preventiva. Em abril daquele ano a Justiça paulista rejeita a denúncia e, consequentemente, o pedido de prisão. O MP recorre ao Tribunal de Justiça que manda o juiz aceitar a acusação e dar continuidade ao processo.

Assim, em 12 de novembro de 2014 o promotor Marcelo Mendroni, responsável pelas investigações, pede novamente a prisão preventiva dele.

Dois dias depois a Bombardier informa que Temsche estaria vivendo na França. O promotor reitera novamente em 2 de dezembro daquele ano o pedido de prisão preventiva afirmando “não ser possível acreditar em duas versões contraditórias da mesma empresa!”.

Três dias depois, a defesa do próprio Temsche se manifesta pela primeira vez nos autos e informa que o executivo estaria à disposição “para responder os chamados judiciais”, mesmo residindo na França. Diante disso, em 10 de dezembro de 2014 a Justiça paulista rejeita a prisão preventiva.

Em julho de 2015 a ação é suspensa acatando o recurso de um dos réus. Contudo, em agosto daquele ano o Tribunal de Justiça acolhe outro recurso do Ministério Público e manda seguir a ação penal, que foi retomada em fevereiro deste ano.

A defesa de Temsche não quis comentar o caso.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s