Para Moody’s, ganho de R$ 17 bi da Eletrobras é positivo

Moody's considerou positivo o reconhecimento de R$ 17 bilhões em ganhos pela Eletrobras no balanço do segundo trimestre

São Paulo – A Moody’s considerou o reconhecimento de R$ 17 bilhões em ganhos extraordinários feito pela Eletrobras em seu balanço do segundo trimestre como positivo do ponto de vista de crédito.

A estatal elétrica contabilizou o valor tendo em vista as indenizações que deve receber ao longo dos próximos oito anos, a partir de 2017, por ativos de transmissão anteriores a 2000 e não amortizados até o momento da renovação das concessões, em 2012.

Em abril, o Ministério de Minas e Energia publicou uma portaria com os critérios para a atualização monetária e o recebimento dessas indenizações, o que fez a Eletrobras e outras empresas de transmissão reconhecerem os valores no balanço do 2º trimestre.

Pelas regras estabelecidas pelo governo, os valores a receber serão incorporados nas tarifas, a partir do ciclo tarifário de 2017, por oito anos.

Pelos cálculos da Moody’s, o caixa consolidado anual das operações da Eletrobras antes de mudanças no capital de giro vai aumentar R$ 3,1 bilhões pelos próximos oito anos, assumindo um imposto de renda de 34%.

“A melhora no fluxo de caixa é material porque se compara com o caixa consolidado das operações antes do capital de giro de R$ 2,6 bilhões em 2015”.

O Ebitda da estatal alcançou R$ R$ 21,3 bilhões no primeiro semestre deste ano, impulsionado pelo reconhecimento de ganhos com a indenização de R$ 25,8 bilhões, comparado com os R$ 907 milhões do mesmo período de 2015.

A agência de classificação de risco lembrou que a indenização deve totalizar R$ 33,8 bilhões. O valor líquido de R$ 17 bilhões deriva do valor bruto a ser recebido menos o valor histórico desses ativos já anotado em balanço, de R$ 7,9 bilhões, e de descontos de R$ 8,8 bilhões de impostos.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já homologou os valores de indenização de três de suas quatro subsidiárias que detém ativos de transmissão. Falta definir o valor devido à Eletronorte, que solicitou R$ 2,9 bilhões. 

“Em linha com as recentes decisões da Aneel sobre o assunto, entendemos que o valor final não vai diferir materialmente do pedido original da companhia, o que esperamos que seja finalizado dentro dos próximos dois meses”, disse a Moody’s.

A agência mantém rating Ba3, com perspectiva negativa para Eletrobras.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s