Petrobras oferece nova chance a desistentes de demissão

A Petrobras ofereceu nova oportunidade para mais de 600 trabalhadores aderirem ao plano de demissão voluntária da companhia

Rio de Janeiro –  A Petrobras ofereceu nova oportunidade para mais de 600 trabalhadores aderirem ao plano de demissão voluntária da companhia, após esses funcionários terem desistido de participar do programa.

Os desistentes tiveram de 30 de novembro até a última sexta-feira para revalidar a inscrição no Plano de Incentivo ao Desligamento Voluntário (PIDV), informou a Petrobras nesta terça-feira.

Lançado em janeiro de 2014, como medida de redução de custos, o plano de demissão voluntária teve inscrições validadas de 7.634 empregados, dos quais 610 desistiram de participar do programa, disse a empresa nesta terça.

Em maio do ano passado, a Petrobras havia anunciado inscrições validadas no PIDV de 8.298 empregados, número que incluia adesões de trabalhadores da subsidiária de distribuição de combustíveis, a BR Distribuidora.

Desde o lançamento do programa, segundo a petroleira, 5.674 empregados dos 7.634 inscritos já se desligaram da Petrobras por meio do PIDV e 1.350 têm previsão de saída até junho de 2017.

Os cálculos da Federação Única dos Petroleiros (FUP), contudo, apontam para a desistência de cerca de 2 mil empregados que haviam se inscrito, segundo o coordenador-geral da FUP, José Maria Rangel.

A Petrobras não informou se funcionários aproveitaram a oportunidade para

revalidar a inscrição no plano e explicou que resultados alcançados com o PIDV até agora serão divulgados no fechamento do próximo resultado da empresa.

As inscrições no programa foram concluídas em março de 2014 e, em maio daquele ano, a empresa anunciou que o PIDV traria uma redução de custos “expressiva”, alcançando “de forma conservadora” 13 bilhões de reais no período de 2014 a 2018.

Rangel, da FUP, explicou que não há motivos específicos para a desistência dos empregados e que cada um deve ter tido seu motivo pessoal para tomar a decisão.

“É o mesmo programa, a Petrobras está revisitando essas cerca de 2 mil pessoas para que elas confirmem ou não a desistência”, afirmou Rangel, à Reuters.

Segundo o sindicalista, que ocupava uma cadeira no Conselho de Administração da Petrobras como representante dos funcionários na época do lançamento do plano, a empresa não está oferecendo benefícios diferentes para convencer os funcionários a concluir o processo.

Texto atualizado às 20h30

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s