Total é multada por corrupção no “Petróleo por Alimentos”

O programa "Petróleo por Alimentos" estava destinado a atenuar os efeitos na população do Iraque do embargo imposto contra o país pela ONU em 1990

O grupo petrolífero francês Total foi condenado nesta sexta-feira em Paris, em apelação, a 750.000 euros de multa por corrupção de agente público estrangeiro no programa da ONU no Iraque “Petróleo por Alimentos”, em vigor de 1996 a 2003.

Esta pena corresponde à máxima passível por este crime.

Por sua vez, o grupo petrolífero Vitol foi condenado a 300.000 euros de multa. Todos os acusados haviam sido absolvidos em primeira instância, mas a procuradoria recorreu.

O programa “Petróleo por Alimentos” estava destinado a atenuar os efeitos na população do Iraque do embargo imposto contra o país pela ONU após a invasão do Kuwait em 1990.

O programa permitia ao regime de Saddam Hussein vender petróleo em quantidades limitadas, sob o controle da ONU, para comprar alimentos e insumos de primeira necessidade.

Mas o Iraque conseguiu se esquivar através de vendas paralelas e superfaturamentos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s