Vale a pena financiar o investimento numa franquia?

Muitas vezes, o franqueado não tem todo o dinheiro do investimento inicial para abrir sua unidade. Entenda se vale a pena financiar e quais as alternativas:

Dúvida do leitor: Vale a pena financiar o investimento numa franquia?

Respondido por Marcus Rizzo, especialista em franquias

Quando você entra num negócio, terá certeza de muitas despesas, e uma incerteza: as receitas.

Se estiver investindo numa franquia, será possível antecipar as informações sobre investimentos, despesas e receitas com base nos dados de outras unidades. Por isso, é importante estar associado a um franqueador experiente e profissional.

Esta informação antecipada, que somente as franquias lhe fornecem com segurança, é aquela que pode reduzir o risco do investimento e que lhe ajudará a definir se, para o negócio pretendido, vale a pena financiar o investimento.

Como avaliar

Para quem deseja uma franquia, muitas vezes a realidade é que o capital disponível para investir não é suficiente. A alternativa é buscar capital com terceiros.

Porém, o mais difícil neste momento é decidir quanto, como e o que buscar.

Para facilitar sua decisão, utilize as informações fornecidas pela COF, a Circular de Oferta da franquia desejada. Neste documento, você encontrará todos os investimentos, despesas e receitas do negócio escolhido.

Na COF de uma franquia bem estruturada, você encontrará um Demonstrativo de Resultados da operação. Com isso, poderá projetar esses números para a sua realidade e tomar uma decisão.

Alguns itens que você deve considerar cuidadosamente para montar sua estimativa são:

– Investimentos em obras de adequação e custos de ocupação. Muitas vezes é preferível pagar um aluguel mais elevado e estar exatamente junto ao seu público consumidor. No entanto, leve em consideração todos os detalhes como adequação do imóvel, taxas, licenças e especialmente o tempo de obra, que pode comprometer todo o investimento. Se possível, negocie uma carência compatível com o tempo de obra;

– As taxas cobradas pelo franqueador como a Taxa de Franquia, Royalties e a Taxa de Propaganda;

– O investimento em mobiliário, equipamentos e utensílios exigidos pelo negócio. Não deixe escapar nada pois sempre aparecem novos itens “não lembrados”;

– As despesas operacionais (que definirão a sua necessidade de capital de giro até que as receitas estejam equilibradas com as despesas). Além do aluguel (lembre-se que em shopping você terá Condomínio e Propaganda), considere as luvas de ponto (que é despesa, nem pense que vai conseguir recuperar ao vender o negócio), folha de pagamento, estoques, encargos e impostos.

Por último, avalie as receitas do negócio, que devem ser muito realistas e dependerão de sua atuação e da localização do seu ponto.
Lembre-se que, no varejo, mais de 90% dos consumidores não se desloca mais do que 3 kms em média para consumir. Estar junto ao seu público alvo é a definição de sucesso do empreendimento.

Quando vale a pena financiar

Quando as receitas geradas pela operação da franquia lhe permitem pagar todas as despesas, incluindo o financiamento e ainda sobra algo que represente valor para você, pode valer a pena.

Com esta simulação você montou o Plano de Negócios de sua franquia e poderá avaliar o Retorno do Investimento, o Ponto de Equilíbrio e então decidir sobre o que financiar e como. Algumas alternativas de financiamento, além do capital próprio:

– Bancos – prefira aqueles que possuam linhas oficiais de financiamento, especialmente para equipamentos, com prazos largos e juros razoáveis;

– Investidores – vão querer um pedaço do seu negócio e avaliar sua capacidade de trabalho para realizar resultados;

– Fornecedores – muitas franquias negociam preços e condições dilatadas de pagamentos para mobiliário e equipamentos;

– Seu Chapéu – também conhecido como “paitrocínio”, passe o chapéu com a família, amigos e ofereça um pedaço dos resultados do negócio. Saiba que esta é a mais fácil, mas a que mais gera confusão e brigas, muito cuidado!

Um detalhe muito importante é a sua reserva para capital de giro e o seu envolvimento no negócio. Saiba que a falta de capital de giro e o abandono da operação são as principais causas de mortalidade de franquias.

Marcus Rizzo é sócio- fundador da consultoria Rizzo Franchise.

Envie suas dúvidas sobre franquias para pme-exame@abril.com.br.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s