Totvs busca nova receita para continuar no topo

A fabricante de softwares de gestão Totvs reformulou seu modelo de negócios no ano passado. O objetivo: manter a empresa atualizada num mercado no qual quem não se renova perece

São Paulo — A área de pesquisa e desenvolvimento das empresas é quase sempre uma das mais sujeitas a sofrer cortes no orçamento em tempos mais bicudos, como o que o Brasil vem atravessando. A paulista Totvs, que produz softwares de gestão, encontrou uma maneira de não cair nessa tentação: seja o ano bom ou ruim, 14% da receita líquida é investida em inovação.

“É uma área estratégica para uma empresa de tecnologia, que não pode parar de inovar”, diz Laércio Cosentino, presidente da ­Totvs. O principal destino dos recursos em 2014 foi o Totvs Lab, centro de pesquisa instalado no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

De lá saíram nos últimos anos produtos como o Totvs V12, versão mais recente do principal programa de gestão da empresa, e o Fluig, plataforma que permite aos usuários consultar ou fornecer informações de qualquer lugar por meio de tablets e smartphones. “Nosso negócio é aumentar a produtividade das empresas”, afirma Cosentino. 

Os investimentos em inovação ajudaram a Totvs a alcançar uma situação invejável. Segundo o instituto de pesquisas Gartner, a Totvs detém metade do mercado brasileiro de softwares de gestão e é a sexta do mundo nesse tipo de programa. Sua receita líquida chegou a 530 milhões de dólares no ano passado, o que a ajudou a ser a melhor empresa da indústria digital em 2014.

Para manter essas posições, porém, será preciso continuar quebrando a cabeça — nesse mercado, quem não se atualiza corre o risco de perecer. Por isso, a Totvs mudou o modelo de negócios no ano passado.

Em vez de vender os softwares para que os clientes os instalem em seus próprios servidores, passou a oferecer o que o mercado conhece pela expressão “software como serviço”: os clientes passam a pagar um valor mensal de assinatura que dá acesso pela internet aos programas, que ficam instalados em computadores mantidos pela Totvs.

A diferença é que, nesse formato, os clientes fazem investimentos iniciais menores na aquisição de um programa e em computadores. “De início, esse modelo resulta em um crescimento menor de nossas receitas”, diz Cosentino. “Mas, no médio prazo, vamos ganhar uma base de assinantes que proporcionam receitas recorrentes, e isso acaba sendo compensador.”

A mudança não é apenas para os novos clientes: uma das missões da Totvs para este ano é convencer antigos usuá­rios de seus programas a migrar para o novo sistema.

Por enquanto, Cosentino ainda está no comando dessa transição — mas seus planos de se afastar do dia a dia dos negócios já foram anunciados. Em junho, ele indicou o executivo Rodrigo Kede, ex-presidente da IBM no Brasil, como seu sucessor na Totvs.

Nos próximos três anos, Kede vai responder diretamente a Cosentino, que se manterá à frente da companhia — depois disso, Cosentino estuda a hipótese de passar para a presidência do conselho de administração, hoje ocupada por Pedro Passos, um dos sócios da fabricante de cosméticos Natura. São os primeiros passos de uma nova fórmula de crescimento.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s