Economizar com cachorro pode ser bom para ele e para o bolso

Troque o dinheiro que seria usado em novos brinquedos por uma ração melhor, por exemplo; veja outras dicas de especialistas

São Paulo – Ele é o queridinho da casa, quase um membro da família, e por isso mesmo exige dedicação – e dinheiro. Ter um cachorro adulto pode custar 240 reais por mês, em média, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet). Isso só para os gastos básicos com alimentação, higiene e vacinas, sem contar os mimos e os problemas mais graves de saúde.

EXAME.com ouviu veterinários e especialistas do mercado pet para mostrar onde dá para economizar, sem prejudicar a saúde do cão. Veja dicas de como gastar menos com seu cachorro:

1. Não gaste com acessórios e banho sem necessidade

Deixe a bolinha que pisca, a roupa, os biscoitos e o pote de ração decorado para trás. “O cachorro não olha para nada disso, só o vizinho”, brinca José Edson Galvão, presidente executivo da Abinpet. Gaste apenas com o essencial: a ração, as vacinas, os vermífugos e remédios anti-pulgas e o veterinário.

O banho também pode ser dado em casa, desde que você tome os cuidados necessários, como recomenda o veterinário Francis Flosi, presidente da Associação Brasileira de Veterinários Especialistas (ABVET).

Coloque a água em uma temperatura morna, proteja os ouvidos e os olhos do cachorro, use produtos específicos para o cão e seque bem o pelo, com o secador mais potente do mercado, para evitar problemas de pele.

2. Gaste com a melhor ração para consumir menos pacotes

Provavelmente uma ração mais cara terá mais nutrientes e maior quantidade de proteção animal, em vez de vegetal, o que fará o cachorro se sentir mais saciado, diz Flosi, da ABVET. “É uma questão de custo-benefício. Na hora de comprar fica caro, mas o pacote vai durar mais tempo.”

Além disso, é claro, rações melhores fazem o metabolismo do seu cão funcionar de forma mais saudável (o que significa que ele vai fazer menos fezes e será mais fácil limpá-las), além de prevenir doenças. Por tudo isso, economizar com ração não é uma boa ideia.

3. Se ainda não escolheu o cachorro, prefira os viralatas

Além de contribuir com uma causa merecida e salvar a vida de um cão, adotar um viralata pode ser mais barato a longo prazo. Sua genética tende a ser mais resistente pela mistura de raças, o que faz com que a probabilidade dele ter doenças ao longo da vida seja menor, explica Flosi.

Além disso, o tamanho do cachorro influencia diretamente nos gastos que você terá com ele, especialmente por conta da quantidade de ração e do preço do banho. Segundo a Abinpet, um cão pequeno custa, em média, 181 reais por mês, enquanto um cachorro grande custa 314 reais mensais.

4. Previna problemas de saúde

Além de garantir a saúde do cachorro, a prevenção diminui as chances de ter que gastar com tratamentos de uma hora para a outra. Se antecipe aos problemas, como orienta a veterinária Carla Berl, fundadora e diretora do grupo Pet Care.

Isso inclui escovar os dentes do cão com frequência, controlar seu peso e fazer exames de rotina uma vez por ano, se ele tiver mais do que seis anos.

Passear em horários de temperatura amena e segurá-lo de forma segura, de preferência com uma coleira peitoral (com menos risco de o pet se soltar), também é importante. Controle  a vontade de dividir o chocolate ou o churrasco com o cachorro e o alimente só com ração.

Também é recomendável medicar o bicho com vermífugos e controladores de pulgas e carrapatos antes que eles apareçam, com orientações do veterinário conforme a raça.

Segundo a Abinpet, o gasto médio com vermífugo é de cerca de 36 reais a cada seis meses. Já o controle de pulgas custa cerca de 3 reais mensais, se considerada uma pingada por mês na nuca do animal.

A vacinação também deve ser seguida à risca. De acordo com a Abinpet, doses anuais de V10 (que protege o cão de sete doenças), vacina contra a raiva, contra giárdia e contra gripe custam cerca de 300 reais ao ano, em média.

5. Considere fazer um plano de saúde

Planos de saúde para cachorros cobrem consultas, exames, vacinas e procedimentos ambulatoriais em casos de urgência. EXAME.com consultou as principais seguradoras do país e a opção mais em conta encontrada foi na Porto Seguro, de 60 reais por mês.   

Segundo especialistas, esses planos costumam valer a pena, especialmente se o cão já tem mais do que seis anos e é considerado idoso.

“Há poucos hospitais veterinários públicos no país e as filas podem ser grandes para conseguir procedimentos de graça”, explica Galvão, da Abinpet.

Alguns planos mais sofisticados, e também mais caros, incluem até consultas domiciliares, parto, castração e tratamentos como acupuntura e fisioterapia.

Se você não tiver como pagar um plano de saúde, a dica é procurar ONGs ou hospitais universitários, que oferecem serviços de qualidade a preços baixos, como aconselha o veterinário Josélio Moura, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s