Astrônomos russos captam sinal de rádio misterioso do espaço

O sinal veio de uma estrela similar ao Sol que pode possuir planetas em sua órbita. Isso não significa, no entanto, que existe vida alienígena no local

São Paulo – Basta um sinal de rádio vindo do espaço para que as conspirações de uma civilização alienígena comecem. A mais recente vem de um grupo de astrônomos russos que afirmam ter detectadado um forte sinal de rádio do espaço. O que chama a atenção é a sua potencial fonte: ele pode ter vindo de uma estrela semelhante ao Sol. 

Chamado de HD164595, esse astro está localizado a 95 anos-luz da Terra e tem 6,3 bilhões de anos, ou seja, é mais velho do que o Sol, que tem 4,5 bilhões de anos. Outra semelhança entre as duas estrelas é que a HD164595 tem pelo menos um planeta na sua órbita. Ele está posicionado tão perto da estrela, que os cientistas nunca imaginaram que poderia existir vida no local – pelo menos não como a conhecemos. 

Esse dado não descarta a possibilidade de que existem outros planetas na órbita desse astro. Mesmo assim, Seth Shostak, diretor do SETI Research (Search for Extraterrestrial Intelligence, ou “Busca por Inteligência Extraterrestre”), disse, no site da instituição, que acredita na existência de outras explicações plausíveis para o que causou a detecção. 

Segundo Shostak, se um sinal de repetição a partir do mesmo ponto no céu não for captado, ninguém pode afirmar que o sinal anterior veio de alienígenas. “Sem uma confirmação, só podemos dizer que [isso] é interessante.”

O sinal de 11 Ghz captado pelo radiotelescópio RATAN-600, um observatório localizado em Zelenchukskaya, na Rússia, foi captado em maio de 2015. Ele se tornou público apenas agora, pois um dos membros da pesquisa enviou um e-mail com as evidências para Paul Gilster, um escritor de ciência e tecnologia. Gilster publicou as informações em seu site, Centauri Dreams, nessa semana e disse que o sinal era provocador. 

Essa demora para informar a comunidade científica sobre o sinal também é algo que deixa Shostak preocupado. Em entrevista para o site The Verge, ele afirma que será difícil confirmar se o sinal detectado pelo RATAN-600 era autêntico. Além disso, encontrar um sinal de repetição tanto tempo depois da detecção original é quase impossível. 

Outro problema com a descoberta russa é a origem do sinal. De acordo com Paul Gilster, há diversas possibilidades para isso, incluindo fenômenos naturais ou interferências nos telescópios. Shostak disse ao The Verge que é difícil comprovar a origem do sinal, pois o receptor dos russos foi fixado em uma banda de ampla largura. 

Apesar do ceticismo, o SETI já está investigando o sinal. Para isso, os cientistas apontaram o Allen Telescope Array, uma grande coleção de radiotelescópios localizada em São Francisco, nos EUA, em direção à HD164595. Até o momento, nenhum sinal de rádio foi detectado. Contudo, ainda não foi feita toda a cobertura das frequências em que o sinal pode ser localizado.

Mais informações sobre o assunto devem surgir no decorrer desta semana. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s