Mapa em 3D mostra como as palavras são guardadas no cérebro

Para criar o mapa, os pesquisadores analisaram a atividade mental de sete falantes de inglês enquanto eles ouviam histórias interessantes

Se você consegue compreender este texto, saiba que pelo menos 50 mil pontos do seu cérebro estão trabalhando para isso – e é neles que a sua mente guarda os diferentes significados das palavras que você conhece.

Tentando entender melhor essa relação, um grupo de neurocientistas da Universidade da Califórnia estudou estes pontos e chegou a um resultado incrível: um atlas do cérebro em 3D (você pode brincar com ele aqui).

Para criar o mapa, os pesquisadores analisaram a atividade mental de sete falantes de inglês enquanto eles ouviam histórias interessantes.

Cada participante ouviu duas horas -o que dá aproximadamente 25 mil palavras- de um programa de rádio chamado The Moth Radio Hour, enquanto sua atividade cerebral era lida por um aparelho de ressonância magnética (fica fácil entender por que as histórias tinham que ser interessantes, não é? Para as pessoas não morrerem de tédio durante o experimento).

Usando o roteiro do programa como base, os cientistas relacionaram as palavras ouvidas aos pontos cerebrais que se “acendiam” na leitura da ressonância – no total, os pesquisadores mapearam algo entre 50 mil e 80 mil pontos.

Analisando os resultados, eles perceberam que vários pontos se acendiam quando uma mesma palavra era ouvida.

Além disso, cada palavra tem sua própria rede, pela qual está conectada a termos correlatos. 

Por exemplo: os termos “pais”, “esposa”, “marido” e “filhos” compõem a rede da família, localizada do lado superior direito do cérebro, enquanto do lado esquerdo, logo acima da orelha, há a rede do crime, formada pelas palavras “vítima”, “assassino”, “preso” e “confessar”. 

Os pesquisadores concluíram que cada parte do cérebro é responsável por uma rede de palavras relacionadas.

Mas o que realmente possibilitou a criação do mapa foi que, para as sete pessoas, a leitura da ressonância foi muito parecida – ou seja, os mesmos pontos do cérebro acenderam para os mesmos termos, criando as mesmas redes de palavras.  

Uma descoberta assim não é só interessante: pode ser muito útil. Se as redes de palavras de todas as línguas forem mapeadas, será possível analisar o cérebro de uma pessoa e saber o que ela está pensando – literalmente ler a mente dela.

Mas essa ainda é uma realidade distante. Por enquanto, os cientistas vão focar em outras análises linguísticas (de fonemas e de sintaxe) e analisar pessoas falantes de outras línguas para deixar o mapa ainda mais preciso. 

Assista a um vídeo do mapa (em inglês):

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s