Meizu Pro 5 é smartphone potente com excelente duração de bateria

logo-infolab

São Paulo — O smartphone Meizu Pro 5 chegou ao Brasil neste ano pelas mãos da empresa brasileira Vi. Ele, entretanto, não é vendido de maneira comum. O Pro 5 vem com alguns gadgets que compõe o que a companhia chama de Phonestation. Há uma bateria portátil que funciona também como teclado a laser e um dispositivo que dá conectividade a TVs via porta HDMI, parecido com o que faz o Chromecast. Esse conjunto sai por 3.699 reais.  

O Pro 5 é o mais novo campeão no quesito duração de bateria. Ele superou o Samsung Galaxy J7 no teste de uso intenso do INFOlab, em parte, por conta da sua bateria de 3.050 mAh. Confira a análise completa do produto a seguir. 

Vídeo

Design 

O visual do Pro 5 é refinado graças à sua construção em metal. As laterais arredondadas do produto ajudam para que seja possível segurá-lo confortavelmente.  
Os botões físicos de controle de volume e liga/desliga ficam na lateral direita, deixando para a esquerda a entrada para chip de operadora e para cartão microSD, que permite a expansão da memória interna de 32 GB.  

“Basta pousar o dedo por cerca de um segundo sobre o componente para que a tela seja desbloqueada.” 

O sensor de digitais do smartphone fica no seu botão home, que é o único encontrado na parte debaixo do produto, como no iPhone. Basta pousar o dedo por cerca de um segundo sobre o componente para que a tela seja desbloqueada. Ainda assim, é preciso ter uma senha numérica que deve ser usada eventualmente, por exemplo, após o reinício do smartphone. 

A tela do Pro 5 é de 5,7 polegadas e ela tem resolução Full HD. O display conta com proteção do vidro reforçado Gorilla Glass 3, que ajuda a evitar o estilhaçamento no caso de quedas.  

A tecnologia de tela é Amoled e isso permite que o gasto energético seja menor do que o do LED convencional. No entanto, este tipo de item só é visto em produtos topo de linha ou avançados, como o Samsung Galaxy A5, por ser mais caro do que o painel LED retroimulinado. No Amoled, os pixels têm luzes próprias, que se acendem quando são atingidos por uma corrente elétrica. Como são individualmente iluminados, a fidelidade de cores é melhor, bem como o contraste.  

Fotos 

Foto por: INFOlab

Foto por: INFOlab

Foto por: INFOlab

O Meizu Pro 5 tem câmeras de 21 MP e 5 MP. A principal se saiu bem nos testes em situações com luz natural. O objeto em foco apresenta riqueza de detalhes, mesmo quando damos zoom na imagem com o objetivo de realizar um recorte.  

Em situações de baixa luz, usar o flash LED foi a maneira de obtermos imagens com qualidade razoável. Ainda assim, nesta condição de iluminação, o nível de detalhe é menor.  

A filmagem, por padrão, acontece em HD. Para filmar em Full HD ou 4K, é preciso entrar nas configurações do app de câmera. 

“O objeto em foco apresenta riqueza de detalhes, mesmo quando damos zoom na imagem com o objetivo de realizar um recorte.” 

Já para as selfies, a câmera do Pro 5 repete o veredicto da câmera principal. Ela se sai bem em locais bem iluminados, mostrando muito bem o personagem da foto, mas a qualidade sofre quando há baixa iluminação.  

Há um flash disparado pela própria tela, que pisca na cor branca no ato da captura. No entanto, o resultado não melhora muito se o ambiente estiver com pouca iluminação. 

O modo de embelezamento de selfies do Pro 5 é interessante, pois permite regular largura do rosto, tamanho dos olhos, nível de blur (limpeza de imperfeições da pele e  
Confira algumas imagens capturadas com o Pro 5. 

Foto por: INFOlab

Foto por: INFOlab

Configuração 

Em termos de configuração de hardware, o Pro 5 se sai muito bem. O produto tem o mesmo processador utilizado no Samsung Galaxy S6, um Exynos 7420.  
Ele garante um bom desempenho, ao lado da memória RAM de 3 GB e do processador gráfico Mali-T760MP8.  

“A experiência de uso do aparelho é fluida e atende bem quem precisa de potência e bateria em um único produto.” 

A CPU do smartphone Meizu é octa-core, um dos motivos para a boa gestão de energia. Nem todos os núcleos estão ligados o tempo todo.  

Não foram constatadas falhas ou gargalos de processamento durante os testes do Pro 5. A experiência de uso do aparelho é fluida e atende bem quem precisa de potência e bateria em um único produto. 

O ônus de ter uma boa bateria é que a performance dele é inferior à de produtos topo de linha mais recentes, como o Galaxy S7 edge, que utiliza uma versão mais recente do processador da linha Exynos e tem mais memória RAM.  

Nos benchmarks, aplicativos que avaliam por pontos o desempenho dos smartphone, o Pro 5 conseguiu bons resultados, especialmente por usar um processador do ano passado. 

AnTuTu (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Meizu Pro 5 63504
Moto X Force 75272
Basemark OS II (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Meizu Pro 5 1124
Moto X Force 1161
Vellamo (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Meizu Pro 5 3536
Moto X Force 3817
Geekbench (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Meizu Pro 5 2234
Moto X Force 2289

 

Bateria  

A bateria do Pro 5 deu um show nos testes do INFOlab. O produto superou todos os concorrentes já avaliados, incluindo iPhones, Galaxys e Xperias. Foram 15 horas de reprodução contínua de vídeos, com Wi-Fi e Bluetooth ativos, além do aparelho estar com o brilho de tela no máximo. 

Com o Vi Center, a bateria portátil que projeta teclado a laser em qualquer superfície plana, também é possível conseguir uma carga completa no Pro 5. A capacidade do Vi Center é de 5.000 mAh.  

“O Pro 5 superou todos os concorrentes já avaliados, incluindo iPhones, Galaxys e Xperias” 

Isso significa que o Pro 5 aguenta um dia todo de uso nas mãos de um heavy user? Sim. É possível tirar o aparelho da tomada às 8h e ficar sem dar uma nova carga na bateria até às 23h. Em situações mais extremas, porém, isso pode não ser verdade. Um exemplo é passar o dia todo com o Waze ligado no smartphone, como fazem motoristas parceiros do Uber.  

Sistema 

O sistema que vem no Pro 5 é o Android 5.1 Lollipop, mas os fãs do sistema operacional móvel do Google talvez não cheguem a reconhecê-lo. A personalização da Meizu sobre a interface é pesada e tem nome: Flyme. Ela é a responsável por deixar o Android com jeito de iOS.  

“A interface Flyme tem suas vantagens.” 

Não há a lista de apps, chamada de app drawer, tudo fica nas telas iniciais do sistema. Outra semelhança com o sistema da Apple é o visual da tela que mostra os aplicativos usados recentemente. 

A interface Flyme, no entanto, tem suas vantagens. Os apps de música e vídeos da Meizu são mais bonitos e funcionais do que os que vêm no Android puro. Além desses, o software chamado Document é interessante, pois mostra de forma intuitiva, com um quê de Windows, as pastas que ficam no sistema no smartphone (aquelas que você vê quando pluga o celular em um computador).

Claro que quando o assunto é interface sempre dá para trocar a launcher do seu smartphone, com aplicativos como o Google Now Launcher ou o Nova Launcher. Portanto, provavelmente o visual iOS não será um grande problema para você, fã do Android com visual puro.  

Vale a pena? 

O Meizu Pro 5 é vendido no Brasil em um modelo interessante. A bateria portátil e o Vi Cast são produtos adicionais que podem ser muito úteis. Digitar em um teclado a laser, porém, não é uma experiência tão boa quanto a de usar um teclado físico. O smartphone, em si, é um ótimo produto para quem precisa de potência e boa duração de bateria. Quem procura um smartphone de qualidade, e tem vontade de ter os acessórios que o acompanham na Phonestation, encontra uma boa opção de compra no Meizu Pro 5 vendido pela Vi no Brasil.  

Ficha técnica

Sistema operacional Android 5.1 Lollipop (Flyme)
Chipset Exynos 7420
CPU Quad-core 1.5 GHz Cortex-A53 e quad-core 2.1 GHz Cortex-A57
GPU Mali-T760MP8
RAM 3 GB
Armazenamento 32 GB + microSD de até 256 GB
Conexões 4G, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac, dual-band, Wi-Fi Direct, DLNA, hotspot, Bluetooth 4.1, NFC
Tela 5,7” 1080 x 1920 pixels
Peso 168 g
Bateria 3.050 mAh
Câmeras 21 MP e 5 MP

Avaliação técnica

Prós Bateria de longa duração, boa configuração, design refinado
Contras Android muito modificado, presença do conector USB-C está um pouco à frente do tempo certo.
Conclusão Smartphone para quem não abre mão do conjunto potência e bateria
Configuração 8.0
Usabildade 8.3
Foto 8.4
Bateria 10
Design 8.7
Média 8.7
Preço R$ 3.699

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s