Nasa já testa motor de foguete que levará humanos a Marte

Primeira missão tripulada ao planeta vermelho está prevista para os próximos anos

São Paulo – A Nasa (agência espacial americana) já faz testes com o motor de foguete que levará humanos a Marte

A agência manteve a espaçonave No. 2059RS-25, cujo motor é chamado RS-25, ligada por 500 segundos em 10 de março.  

A próxima vez que isso acontecer será para levar uma missão tripulada ao planeta vermelho, marcando a primeira iniciativa do gênero no espaço profundo nos últimos 45 anos. 

O motor do foguete da Nasa, que tem o objetivo de lançar astronautas para viajar os cerca de 77 milhões de quilômetros da Terra até Marte, tem empuxo de 2 milhões de libras (8,9 Newton). 

A primeira missão tripulada para Marte com uma equipe da Nasa deve deixar o planeta Terra em novembro de 2018. 

Divulgação/Nasa

()

Desafios 

Depois de chegar até lá, ainda é preciso realizar muitas modificações no planeta vermelho para que ele seja habitável. A temperatura média na superfície, por exemplo, é de menos 55 graus centígrados. Nas calotas polares de gelo, o frio é ainda mais intenso e chega a -143ºC. 

Outra questão é a ausência de duas coisas importantes para a vida humana: oxigênio na atmosfera e um núcleo de metal fundido. Enquanto o oxigênio tem uma aplicação evidente para a nossa respiração, a segunda característica faltante em Marte tem uma função menos aparente: nos proteger contra as tempestades solares. 

Como a Terra tem núcleo formado por uma grande massa de metal fundido, há um campo magnético que nos protege e favoreceu o surgimento da vida ao preservar o planeta. Marte até tem um campo magnético similar ao da Terra, mas ele não abrange toda sua área e gerar isso artificialmente em larga escala é algo que desafia os cientistas.  

Ainda assim, Marte é visto como a opção mais habitável e próxima da Terra. “É mais amistoso que outros planetas do sistema solar. Não está tão ruim, tem uma temperatura manejável para o ser humano, embora haja pouco oxigênio”, explicou à Agência Efe o cientista da Agência Espacial Europeia (ESA), Hakan Svedhem.  

A Nasa não tem uma estimativa de quando será possível viver no planeta vermelho por enquanto. Agora, alguns cientistas acreditam que poderemos morar na Lua dentro de dez anos

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s