Robôs estão ajudando pessoas a comprar mais coisas

A questão não é apenas a mão de obra que os robôs podem economizar; é a quantidade de empregos que eles podem gerar

A questão não é apenas a mão de obra que os robôs podem economizar; é a quantidade de empregos que eles podem gerar.

A automação permite que as empresas reduzam os custos dos produtos e, em última análise, diminuam os preços, o que significa que mais pessoas podem comprar o que é colocado à venda, segundo os pesquisadores Anna Salomons, Ulrich Zierahn e Terry Gregory, da Universidade de Utrecht e do ZEW Center, na Alemanha.

O estudo conjunto deles, publicado nesta semana, aponta que, apesar de as máquinas terem substituído alguns empregos humanos na União Europeia entre 1999 e 2010, o impulso à demanda por bens acabou fazendo com que o número de postos de trabalho aumentasse a um ritmo mais veloz em outras partes da economia.

“Digamos que você tem uma empresa que faz as duas coisas — fabrica um produto, mas também tem pessoas na gestão, nas vendas e no marketing”, disse Gregory, por telefone, do ZEW, em Mannheim.

“Tarefas repetitivas, como o trabalho da linha de montagem, estão sendo automatizados, mas a empresa também se torna mais produtiva, permitindo a redução dos preços dos produtos. Com isso ela consegue vender mais produtos, o que significa mais trabalho para a outra parte do negócio, especialmente aquele focado em tarefas que não são de rotina”.

A equipe estima que aproximadamente 9,6 milhões de empregos tenham sido perdidos nas regiões da UE estudadas devido a inovações técnicas, mas que cerca de 8,7 milhões foram criados diretamente por causa do aumento da demanda pelos produtos.

Como as pessoas conseguiram comprar produtos mais baratos, o aumento resultante é um fenômeno conhecido como “efeito multiplicador”. Isto acaba elevando ainda mais a demanda por mão de obra em toda a economia.

Inteligência artificial

Para quantificar esse efeito, o estudo separou o multiplicador em estimativas de limites superiores e inferiores.

A estimativa de limite superior, que diz que o mercado de trabalho somou 11,6 milhões novos empregos no período, considera que toda a renda é gasta na economia local.

A estimativa de limite inferior, de 1,9 milhão de empregos, se baseia na presunção de que apenas a renda dos salários realimenta o consumo, enquanto a renda restante é gasta fora da União Europeia.

Ambas mostram que o efeito da demanda por produtos sobre o crescimento dos empregos mais que compensou a queda inicial na demanda por mão de obra.

Claramente não é tão simples dizer que a automação se traduz diretamente em geração de emprego.

Mas o efeito cascata mostra que o medo existente há tempos de substituição por robôs pode ser exagerado.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s