Xi e Obama discutem espionagem e direitos humanos

Os presidentes das duas maiores economias mundiais mantêm na véspera da cúpula a que deve ser a última reunião oficial entre ambos

Hangzhou – Os presidentes de China e Estados Unidos, Xi Jinping e Barack Obama, discutem em sua última reunião oficial como lidar com suas diferenças, entre elas assuntos marítimos, direitos humanos e espionagem virtual, após darem um passo adiante na meta comum contra a mudança climática.

“Sei que, mais uma vez, manteremos conversas sinceras sobre algumas de nossas diferenças em assuntos como direitos humanos, segurança virtual e (as disputas) marítimas”, disse Obama a Xi em reunião em Hangzhou (leste da China), onde amanhã começa a cúpula de líderes do G20.

Os presidentes das duas maiores economias mundiais mantêm na véspera da cúpula a que deve ser a última reunião oficial entre ambos. Em dois meses, os EUA realizarão novas eleições.

Obama mostrou “absoluto compromisso” em assegurar que ambos “sintam as bases para que a próxima Administração dos EUA encontre uma relação (com a China) que tenha uma estrutura forte e produtiva”.

O líder americano se referiu a alguns aspectos positivos, como a ratificação do pacto de Paris sobre o clima que ambos anunciaram hoje e ressaltou a importância de “discutir sobre aqueles temas nos quais diferimos e sobre como tramitá-los”.

“Acho que alcançamos uma cooperação prática onde nossos interesses coincidem, e uma discussão construtiva nos temas nos quais diferimos, para que estes não arrisquem nossas relações bilaterais”, considerou.

Em tom menos conciliador, Obama afirmou em entrevista concedida à “CNN” antes de chegar à China que Pequim deve evitar mostrar força no mar da China Meridional, onde disputa territórios com vários países vizinhos.

Na entrevista, que a “CNN” exibirá no domingo, mas da qual já foram divulgados alguns trechos, Obama opina que a China deve obedecer as leis internacionais, após Pequim ignorar a decisão a favor das Filipinas emitida pelo Tribunal de Haia em julho a respeito das disputas na região.

Xi considerou o encontro de hoje “importante” e se baseou em todas as vezes que os líderes se reuniram (quatro reuniões oficiais, com esta última, e oito no total) para ressaltar a relevância das relações entre China e Estados Unidos.

Ambos os líderes manterão um longo encontro que terminará em um jantar mais privado neste sábado, para amanhã participarem da cúpula do G20. EFE

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s